Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Mundo

Cenário econômico

EUA ameaçam não pagar títulos do tesouro à China

Publicado em: 04/05/2020 15:08

O presidente Donald Trump debate com seus assessores na Casa Branca a possibilidade de não pagar os títulos do Tesouro americanos comprados pela China. Essa opção seria como parte de uma estratégia para forçar o país chinês a indenizar os Estados Unidos pelos prejuízos provocados com a pandemia. De acordo com informações publicadas no jornal The Washington Post, a remissão não autorizada da dívida neste caso poderá ser apresentada aos cidadãos norte-americanos como uma espécie de pagamento adiantado desta reparação financeira, sendo que por outro lado Pequim acreditou que havia dado a Washington um crédito. No entanto, na realidade resultou que apenas havia feito uma compensação antecipada. 

Entretanto, Trump aparentemente ainda assume uma posição relativamente moderada, ou seja, deseja punir financeiramente a China pelo impacto global da Covid-19, mas devido à sua experiência empresarial, é contra decisões excessivamente arriscadas, que podem até colocar em risco a condição da moeda norte-americana. 

O The Washington Post anunciou ainda que o líder americano e a cúpula da Casa Branca já discutiram a ação de limitar a chamada imunidade soberana, uma doutrina judicial que impede que um Estado seja processado sem seu consentimento. Além disso, outro ponto também revelado por altos funcionários da administração é que foi levantada a questão de anular parte da dívida dos EUA à China, contudo não se sabe até o momento se o presidente Trump apóia tal ideia. Isso porque Donald Trump mostrou forte preocupação com o dólar, sugerindo que um padrão seletivo por parte dos EUA na hora do pagamento de suas dívidas pode enfraquecer consideravelmente seu uso como a principal moeda mundial. 

Porém, mesmo assim, o presidente norte-americano garantiu que irá descobrir um modo de penalizar a China, afirmando existir a viabilidade e perspectivas de impor taxas demasiadamente altas sobre os produtos chineses. 

Já os analistas consideram que a "apropriação" de bilhões de dólares da China, anulando o pagamento dos títulos dos EUA, não se apresenta somente como um fator de caráter econômico, mas ainda político, que visa favorecer a avaliação de Trump para as próximas eleições presidenciais. Mas abolir cerca de um terço das reservas de ouro e de divisas da China é uma punição bastante grave. Se caso os Estados Unidos o façam, a pressão sobre a moeda chinesa será extremamente maior. Todavia, a moeda norte-americana também poderá sofrer e ter sua estabilidade abalada drasticamente, mas mesmo assim indicadores apontam que é possível o presidente norte-americano "sacrificar o status do dólar" por sua reeleição. 

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Um ato por justiça e solidariedade
Resumo da semana: criança morre ao cair de prédio e reabertura pós-quarentena
05/06: Manhã na Clube com Rhaldney Santos
Covid-19 põe indígenas amazônicos em grande risco
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco