Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Mundo

ESPORTE

Alemanha é primeiro grande país europeu a retomar campeonato de futebol

Por: AFP

Publicado em: 16/05/2020 10:54

 (Foto: Jan Woitas / POOL / AFP)
Foto: Jan Woitas / POOL / AFP
A Alemanha se tornou, neste sábado (16), a primeira grande liga europeia a retomar seus campeonatos, com o início de quatro jogos da segunda divisão, com portões fechados, após estar suspensa desde março devido à pandemia do coronavírus.

O estranho ambiente dos estádios em Karlsruhe, Regensburg, Bochum e Aue deu uma prova do que as estrelas da Bundesliga viverão neste fim de semana, com a impressão de se estar assistindo a jogos de categorias de base.

Sem cerimônia nem música, as equipes entraram em campo separadas. Não houve saudações entre jogadores, nem crianças por perto. Também não houve grande festa após o primeiro gol, marcado pelo sul-coreano Jae-Sung Lee, do Kiel, na partida contra o Regensburg, após três minutos de jogo.

Nos bancos de reservas, os substitutos usam máscaras e estão separados um dos outros por dois metros de distância. Já os telespectadores conseguem escutar os gritos e ordens dos técnicos.

Uma das partidas previstas para este sábado, entre Hannover e Dresden, teve de ser adiada. Toda a equipe visitante foi colocada em quarentena, após a descoberta de dois casos positivos para a Covid-19.

Em Dortmund, onde se disputa neste sábado (10h30, no horário de Brasília) o sempre quente clássico do Ruhr entre Borussia e Schalke, o ambiente da cidade não parece o de um dia de jogo, constatou um jornalista da AFP.

Várias viaturas da polícia estavam posicionadas, principalmente nos arredores das estações de trem, para evitar a aglomeração de torcedores dos dois clubes. A polícia fez um apelo público para que os torcedores permanecessem em casa durante o jogo.

"Mais vale jogos com portões fechados para frear a propagação da epidemia do que uma catástrofe sanitária", admitiu Nicole Bartelt, de 44 anos e torcedora do Borussia Dortmund, que verá o jogo de sua equipe na casa de amigos, respeitando as medidas de distanciamento exigidas pelas autoridades.

A Bundesliga, que reúne os clubes de elite, começará suas partidas às 15h30 (10h30, horário de Brasília), em cinco estádios, incluindo Dortmund, onde começará a 26ª rodada da competição. O líder e atual campeão Bayern de Munique só entra em campo no domingo para enfrentar o Union Berlim.

- Exemplo para outros campeonatos -

Pioneira na Europa entre as grandes ligas, a Bundesliga terá a responsabilidade de mostrar o caminho: o êxito ou fracasso de sua tentativa de retomar e terminar a competição pode ser determinante para os planos de outros países.

Se conseguir concluir as nove rodadas que faltam para encerrar a temporada, a Alemanha terá mostrado ao mundo que o esporte profissional de primeira linha pode sobreviver à Covid-19, mas uma nova interrupção antes do fim transmitiria uma mensagem muito negativa.

Os jogadores e membros das comissões técnicas são submetidos a testes regularmente e tiverem que ficar concentrados e confinados por uma semana.

Dois técnicos de clubes da primeira divisão alemã não poderão estar à beira do campo neste fim de semana por terem violado as regras de confinamento: Heiko Herrlich (Augsburg), que saiu do hotel para comprar pasta de dente e um creme dermatológico, e Urs Fischer (Union Berlim), que optou por abandonar a concentração devido ao falecimento de um parente.

- "O mundo inteiro está de olho" -

"O mundo inteiro está de olho na gente", constatou na sexta-feira (15) o técnico do Bayern de Munique, Hansi Flick. "Pode ser um sinal para todas as outras ligas e pode permitir ao esporte voltar no mundo todo", continuou.

Especialmente atentos ao que acontece na Bundesliga estão Espanha, Inglaterra e Itália, as três principais ligas europeias que desejam reiniciar seus campeonatos, embora ainda busquem a autorização de seus respectivos governos. Outros, como França, Holanda e Bélgica, suspenderam definitivamente suas atividades.

A volta do futebol "é um bom sinal", destacou neste sábado o presidente da Uefa, Aleksander Ceferin. "Não é só futebol. As pessoas estão deprimidas pelo confinamento e pela incerteza. O futebol traz uma certa normalidade e energia positiva. É mais fácil ficar em casa quando se pode assistir esporte" na televisão, declarou o dirigente à emissora BeIn Sport.

Na Alemanha, porém, a opinião pública não é favorável à retomada do campeonato: 56% das pessoas questionadas por uma pesquisa se disseram contra a iniciativa. "Temos uma responsabilidade gigantesca", reconheceu na sexta-feira o presidente do Borussia Dortmund, Hans-Joachim Watzke.

Sua equipe é a atual segunda colocada na tabela da Bundesliga e tentará evitar que o Bayern de Munique conquiste o título alemão pelo oitavo ano consecutivo. Mas o principal objetivo para os dirigentes do futebol alemão é concluir o campeonato em 27 de junho, embora uma prolongação até julho não seja descartada caso o coronavírus voltar a alterar os planos.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Um ato por justiça e solidariedade
Resumo da semana: criança morre ao cair de prédio e reabertura pós-quarentena
05/06: Manhã na Clube com Rhaldney Santos
Covid-19 põe indígenas amazônicos em grande risco
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco