Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Notícia de Mundo

SUPREMO

Presidente da Argentina, Alberto Fernández, pede #LulaLivreAmanhã

Publicado em: 07/11/2019 22:27 | Atualizado em: 07/11/2019 22:33

O Supremo Tribunal Federal (STF) proibiu %u2013 por 6 votos a 5 %u2013 as prisões após condenação em segunda instância (Foto: Reprodução/Instagram )
O Supremo Tribunal Federal (STF) proibiu %u2013 por 6 votos a 5 %u2013 as prisões após condenação em segunda instância (Foto: Reprodução/Instagram )
Alberto Fernández, atual presidente da Argentina, publicou em seu Twitter uma comemoração após a decisão sobre condenação em segunda instância, que teve parecer favorável ao ex-presidente Lula da Silva.

O Supremo Tribunal Federal (STF) proibiu – por 6 votos a 5 – as prisões após condenação em segunda instância em votação feita nesta quinta-feira (7). O presidente da corte, ministro Dias Toffoli, tomou a decisão com maior impacto. O voto de Toffoli durou mais de duas horas e foi marcado por intervenções do ministro Gilmar Mendes. Com essa decisão, o ex-presidente Lula pode ser solto. 

"O Supremo Tribunal Federal do Brasil decidiu que as sentenças de prisão só são executórias depois de assinadas. É o mesmo que reivindicamos na Argentina há anos. Valeu a pena a demanda de tantos! #LulaLivreAmanhã!", escreveu Fernández, em tom de celebração. Confira a publicação: 

El Supremo Tribunal Federal de Brasil ha decidido que las condenas a prisión solo son ejecutables una vez que hayan quedado firmes.

Es lo mismo que venimos reclamando en Argentina desde hace años.

¡Valió la pena la demanda de tantos!

¡#LulaLivreAmanhã! pic.twitter.com/vVEx0SC3LM

— Alberto Fernández (@alferdez) 8 de novembro de 2019
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
A cabeça e coração de Igor de Carvalho
Qual a importância da robótica para a educação?
Majé Molê: um quilombo urbano na comunidade de Peixinhos
Creche na Ilha de Deus, uma promessa de doze anos
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco