Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Mundo

CRISE POLÍTICA

Peso chileno vai ao seu menor valor histórico com greve geral

Por: FolhaPress

Publicado em: 12/11/2019 17:45

 (Foto: Reprodução / Pixabay)
Foto: Reprodução / Pixabay
O peso chileno foi ao seu menor valor em relação ao dólar nesta terça-feira (12). Com a greve geral no país, mesmo após o governo anunciar que vai mudar a Constituição, o dólar subiu 3% nesta sessão e foi a 783,82 pesos, máxima histórica. O patamar superou a máxima de 2002, quando o dólar valia 750 pesos.
 
A série de protestos que o país enfrenta há quatro semanas levaram a uma alta de 10,37% do dólar no período. As manifestações começaram como crítica à alta da tarifa de metrô, já revogada, e passaram a questionar a desigualdade social e o aumento do custo de vida, bem como a atual Constituição, herdada da ditadura de Augusto Pinochet (1973-1990).
 
A Carta atual, vigente desde 1980, é apontada como origem das desigualdades por especialistas e manifestantes. Desde que foi escrita e promulgada, a Constituição teve mais de 200 modificações em 40 artigos, mas críticos dizem que a ela falta legitimidade.  Além disso, o documento não determina que o Estado deva oferecer saúde e educação como direitos.
 
Além da própria depreciação do peso com a crise que o país enfrenta, os investidores no país tendem a alocar recursos na moeda americana como proteção a risco, já que o dólar é um dos investimentos mais seguros do mundo.
 
No momento, o maior temor de investidores é o resultado da nova Constituição. A Bolsa chilena caiu 1,6% nesta terça e acumula um recuo de 11,5% desde que os protestos começaram.
 
Também nesta sessão, o risco-país chileno medido pelo CDS (Credit Default Swap) de cinco anos disparou 12%, a 47 pontos, maior valor desde junho.
 
Nesta terça, o real sofreu os efeitos da crise no Chile e na Bolívia, que se encontra sem governo após a renúncia de Evo Morales. No Brasil, a cotação do dólar subiu 0,62% na sessão e voltou a R$ 4,1680, mesmo valor da última sexta (8) com a saída do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva da prisão em Curitiba.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Ao vivo com Pedro Guimarães : Auxílio Emergencial e FGTS
Cinco vinhos para degustar durante a quarentena
Rua do Bom Jesus está no topo do ranking das mais belas, diz revista americana
10/07 Manhã na Clube com Rhaldney Santos
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco