EUA Trump sugeriu tiro nas pernas e fosso com crocodilos para deter imigrantes ilegais

Por: AFP - Agence France-Presse

Publicado em: 03/10/2019 08:56 Atualizado em:

Nicholas Kamm/AFP
Nicholas Kamm/AFP
O presidente norte-americano Donald Trump sugeriu em uma reunião feita em março alternativas para conter a imigração nas fronteiras do país. De acordo com o New York Times, o presidente insinuou alternativas como um muro com cerca elétrica, um fosso com jacarés e até disparos contra as pernas de imigrantes que tentassem entrar no país de forma ilegal.

O presidente desistiu das ameaças após seus assessores dizerem que a prática seria ilegal. Participaram do encontro o secretário de Estado, Mike Pompeo, a então secretária de Segurança Interna, Kirstjen Nielsen, e o chefe de gabinete da Casa Branca, Mick Mulvaney, além do genro do presidente, Jared Kushner, e do assessor para temas de imigração, Stephen Miller. 

Trump já teria sugerido anteriormente a construção de um muro fortificado com um fosso cheio de cobras e crocodilos na fronteira. Além do muro, ele queria construir uma barreira com lanças no topo capazes de perfurar o corpo humano. Ele chegou até pedir um orçamento das obras aos seus assistentes.

“Vocês estão me fazendo parecer um idiota. Eu disputei a eleição com essa promessa”, dizia o presidente, segundo descreveram funcionários da Casa Branca. 

Segundo o New York Times, a ordem de Trump de fechar a fronteira foi um ponto que desencadeou multa confusão dentro da Casa Branca. Ele chegou até mesmo a demitir assessores que tentaram contê-lo. No artigo escrito por Michael D. Shear e Julie Davis, eles afirmam que Kistjen Nielsen, ex-secretária de Segurança Interna, foi uma das pessoas que acabaram perdendo o emprego. 

Trump negou que tenha sugerido implantar fossas com crocodilos como método para conter a entrada de imigrantes na fronteira do México “A imprensa está tentando vender o fato de que eu queria uma fossa cheia de crocodilos e cobras, com uma cerca elétrica e pontas afiadas, na nossa fronteira sul”, declarou Trump. “Posso ser duro com a segurança nas fronteiras, mas não tanto. A imprensa ficou louca. Notícias falsas!.” 




Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.