economia EUA não vão mais apoiar o ingresso do Brasil na OCDE

Por: FolhaPress - FolhaPress

Publicado em: 10/10/2019 13:59 Atualizado em:

O secretário de Estado, Mike Pompeo, rejeitou o pedido de discutir a entrada do Brasil no clube dos países mais ricos do mundo. Foto: Arquivo / AFP
O secretário de Estado, Mike Pompeo, rejeitou o pedido de discutir a entrada do Brasil no clube dos países mais ricos do mundo. Foto: Arquivo / AFP
O governo dos Estados Unidos não vai mais apoiar o Brasil para o ingresso na OCDE (Organização de Cooperação e de Desenvolvimento Econômico), diz a agência de notícias Bloomberg.
 
O secretário de Estado, Mike Pompeo, rejeitou o pedido de discutir a entrada do Brasil no clube dos países mais ricos do mundo de acordo com uma carta que foi enviada ao secretário-geral da OCDE, Ángel Gurría, no dia 28 de agosto e a que a Bloomberg teve acesso. Ele acrescentou que os Estados Unidos apoiam só a Argentina e a Romênia.
 
Segundo fontes do governo, a indicação da Argentina não é novidade. Desde os primeiros contatos da gestão de Jair Bolsonaro, os auxiliares do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, deixaram claro que a Argentina seria o país indicado pelos americanos. A Romênia é uma indicação dos europeus.
 
Há 40 dias, dizem pessoas ligadas à equipe econômica, o ministro da Economia, Paulo Guedes, foi informado por um representante do governo americano de que a indicação da Argentina ocorreria em breve.
 
Em março deste ano, o presidente Trump afirmou publicamente que endossaria a campanha brasileira para o ingresso na OCDE.
 
Em troca de obter o apoio dos Estados Unidos, o Brasil prometeu abrir mão de seu "tratamento especial e diferenciado" na OMC (Organização Mundial de Comércio), que dá ao país maiores prazos em acordos comerciais e outras flexibilidades.
 
Uma das medidas efetivamente adotadas pelo governo brasileiro foi elevar para 750 milhões de litros, ante 600 milhões anteriormente, a cota para importações anuais de etanol sem tarifa. A medida vigorará por 12 meses e foi comemorada pelo presidente americano, Donald Trump, já que os Estados Unidos são os principais exportadores de etanol para o Brasil.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.