Decisão Congresso do Peru suspende Vizcarra e nomeia presidente interina

Por: AFP - Agence France-Presse

Publicado em: 01/10/2019 08:22 Atualizado em: 01/10/2019 09:07

Juan Pablo Azabache/AFP
Juan Pablo Azabache/AFP
O Congresso do Peru, controlado pela oposição, aprovou na segunda-feira (30) a suspensão "temporária" do presidente Martín Vízcarra por "incapacidade moral", após o mandatário dissolver o Parlamento, e nomeou como presidente interina a vice-presidente Mercedes Aráoz.

Em uma sessão que contou com a presença de apenas 86 dos 130 parlamentares, foi aprovada uma moção do "fujimorismo" para declarar a "incapacidade moral do presidente da República e sua suspensão temporária", disse o chefe do Legislativo, Pedro Olaechea.

A medida, sendo, em teoria, inválida, deixa o país em um impasse institucional, com dois presidentes, Vizcarra e Aráoz, ambos eleitos na chapa de Pedro Pablo Kuczynski, que renunciou em 2018.

Aráoz, uma economista de 58 anos que foi ministra no segundo governo de Alan García (2006-2011), prestou juramento imediatamente como presidente diante de Olaechea.

"É meu dever como cidadã, mulher, mãe e vice-presidente assumir este mandato. Teria sido mais fácil renunciar, mas não fujo das minhas responsabilidades, por mais difíceis que sejam as circunstâncias", disse Aráoz, que qualificou de "inconstitucional" a dissolução do Congresso.

Quase na mesma hora foi publicado no diário oficial El Peruano o decreto de dissolução do Congresso.

Segundo Olaechea, o Congresso votará na sexta-feira a destituição definitiva de Vizcarra.

A dissolução do Parlamento
Martín Vizcarra anunciou na mesma segunda-feira (30) a dissolução do Congresso da República e a convocação de novas eleições parlamentares.

Por meio de mensagem transmitida a todo país, o presidente afirmou que a decisão é um ato constitucional previsto no Artigo 134 da Constituição peruana.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.