Denúncia Na França, personalidades denunciam processos por motivação política

Por: AFP - Agence France-Presse

Publicado em: 08/09/2019 11:48 Atualizado em:

Cerca de 200 personalidades - entre elas o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o Prêmio Nobel da Paz argentino Adolfo Pérez Esquivel - defenderam o fim dos processos judiciais com motivação política, em uma carta aberta publicada neste domingo (8) na França no semanário "Le Journal du Dimanche".

"Convidamos todos à vigilância para defender as vítimas desse tipo de operação, qualquer que seja sua identificação política. Pedimos a cooperação mundial para a resistência jurídica", afirmam os signatários.

O grupo inclui ainda o espanhol Pablo Iglesias, secretário-geral do movimento Podemos; o ex-presidente equatoriano Rafael Correa; o ex-presidente uruguaio José Mujica; e Jean-Luc Mélenchon, líder da esquerda francesa.

"Está se cruzando um limite" com "a tática de 'lawfare'", ou seja, com "a instrumentalização da Justiça para eliminar os adversários políticos", apontam na carta, em referência, por exemplo, aos casos de Lula, do advogado egípcio Massum Marzuk, do opositor camaronês Maurice Kamto e do próprio Mélenchon na França.

Mélenchon acaba de completar uma longa viagem por México, Uruguai, Argentina e Brasil. Neste último, reuniu-se com Lula em Curitiba, onde cumpre pena de quase nove anos de prisão por acusações de corrupção.

O líder francês será julgado em 19 e 20 de setembro, junto com cinco de seus colaboradores, por atos de intimidação contra autoridade judicial, rebelião e provocação. As acusações foram apresentadas depois de uma operação policial de busca e apreensão na sede de seu partido, em outubro de 2018.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.