ataque "cirúrgico" Exército dos EUA assume que deixou nove mortos no Afeganistão

Por: AFP - Agence France-Presse

Publicado em: 20/09/2019 16:35 Atualizado em:

Foto: Arquivo / AFP
Foto: Arquivo / AFP
O Exército americano reivindicou um ataque "cirúrgico" contra o grupo Estado Islâmico no leste do Afeganistão, o qual, de acordo com fontes afegãs, matou nove civis "por erro" na quinta-feira (19).

Em um comunicado obtido pela AFP nesta sexta (20), o porta-voz da Força americana no Afeganistão (USFOR-A) explicou que "as forças americanas executaram um ataque cirúrgico contra terroristas do Daesh [acrônimo do Estado Islâmico em árabe] em Nangarhar".

O coronel Sonny Legrett disse que o Exército americano "está a par das alegações pela morte de não combatentes e trabalha com dirigentes locais para determinar os fatos".

O governador do distrito de Khogyani indicou que o bombardeio deixou nove mortos e seis feridos. "Todos eles eram civis", declarou.

Um porta-voz da polícia nesta província do leste do Afeganistão disse que o ataque "tinha como alvo combatentes do Daesh, mas havia atingido civis por engano".

Como um dos feridos explicou à AFP, as vítimas eram agricultores sazonais, que trabalhavam em uma plantação de pinheiros.

Em uma nota, o coronel Liggett afirmou que as forças americanas "combatem em um entorno complexo contra aqueles que matam e se escondem entre os civis".

"De acordo com as indicações iniciais, membros do Daesh se encontravam entre os atingidos pelo bombardeio", acrescentou.

Em um informe apresentado no final de julho, a Missão de Assistência da ONU no Afeganistão indicou que, no primeiro semestre de 2019, a maioria dos civis mortos no conflito afegão foi vítima dos bombardeios das tropas afegãs e americanas, e não dos atentados dos talibãs, ou do braço local do EI.

Nesta sexta, subiu de 29 para 39 o balanço de vítimas letais de um atentado cometido ontem pelos talibãs no sul do Afeganistão. No total, 91 pessoas morreram em uma série de ataques esta semana no país.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.