Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Notícia de Moda
Collection 4 Mares C&A une grandes nomes da moda praia nacional Água de Coco, Lenny Niemeyer, Cia Marítima e Blue Man se juntaram em uma única coleção

Por: Aline Ramos

Publicado em: 07/12/2017 15:00 Atualizado em: 07/12/2017 08:49

As peças estão disponíveis em 70 lojas selecionadas da marca. Foto: C&A/Divulgação
As peças estão disponíveis em 70 lojas selecionadas da marca. Foto: C&A/Divulgação
A C&A uniu quatro grandes marcas em sua última coleção de 2017.  Nomes consagrados do universo beachwear, como Água de Coco, Lenny Niemeyer, Cia Marítima e Blue Man, foram escolhidas para estampar a Collection 4 Mares da C&A, que está disponível em 70 lojas selecionadas espalhadas pelo Brasil.
 
A linha oferece uma moda democrática para mulheres, homens e crianças curtirem a estação mais quente no país tropical. A beach couture da Cia. Marítima traz uma inspiração Art Deco, que passeia entre pitadas tropicais e estampas geométricas. Tons de P&B se mesclam com tonalidades azuis, seguindo o DNA da marca.
 
Pensando no público de espírito jovem, a Blue Man apresenta uma coleção irreverente e divertida. Estamparia de borboletas e aviamentos dão o tom de um mood boêmio e descolado. A estampa tropical em tons de flúor e neon foi inspirada no clima californiano.
 
Lenny Niemeyer traz o Oriente sofisticado no país tropical e o destaque fica por conta das estampas com pássaros, carpas e flores. Fundo vermelho, preto, off white e azul, fazem parte da cartela e acompanham a mesma vibração dos desenhos. Para finalizar, a Água de Coco traduz todo seu DNA exuberante, em uma coleção que explora a flora e fauna brasileira com estamparias de araras, tucanos, cocos e coqueiros. Tons de verdes, azuis e vermelho queimado ganham destaque entre bordados.
 
A C&A Collection 4 Mares apresenta novos shapes de biquínis e maiôs, e aposta nos bodies como peça chave, que podem ser usados em diversas ocasiões e combinações.  A novidade fica por conta das criações masculinas da Água de Coco e Blue Man, trazendo t-shirts, bermudas e sungas que traduzem um estilo de vida saudável e sempre jovem. A linha infantil segue o estilo tal mãe, tal filha em peças com proteção UV. Todos os tecidos de moda praia da C&A possuem proteção UV 50+ e o fio é homologado Lycra Xtra Life, que dura até 10 vezes mais que os fios de elastano. A estamparia 100% digital garante a durabilidade das peças.
 
As saídas de praia em tecidos fluídos desfilam em comprimentos para todos os gostos - longos, curtos e midi. Para fechar o look tropical com os acessórios indispensáveis e certeiros para o verão, a marca apresente bolsas de praia de palha e estampadas, nécessaires, bonés e chapéus. Os praticantes de esportes não ficam de fora, a Collection também desenvolveu tops, jaquetas e shorts runner nas coleções de Cia. Marítima e Blue Man. A C&A Collection 4 Mares já está disponível na loja virtual (www.cea.com.br) e nas lojas selecionadas da marca.


Entenda os riscos da escoliose para saúde
Primeira Pessoa com Bione
Sobre Vidas: Nivia e o empoderamento de mulheres no Coque
DP Auto na Tóquio Motor Show - Tudo sobre a Nissan

Resistência nordestina em cartaz

Diego Rocha *
Celebrando a resistência da arte nordestina e a arte nordestina de resistir, o 21º Festival Recife do Teatro Nacional está em cartaz na cidade para confirmar a vocação de um povo à resiliência e à criatividade. Até o próximo dia 24, a programação montada com muita assertividade pela Prefeitura do Recife irá apresentar 12 espetáculos em vários teatros da cidade, entre eles seis montagens nacionais jamais vistas na capital do Nordeste.
Mas não está toda no ineditismo a urgência que esses espetáculos carregam. Mas também e principalmente na referência e reverência que muitos fazem à estética e às temáticas fincadas no árido solo fértil do Nordeste. Alguns textos, como o da montagem Ariano %u2013 O Cavaleiro Sertanejo, da companhia carioca Os Ciclomáticos sequer foram produzidos no Nordeste. Mas sabem, bebem e comungam do povo que somos. Foram buscar inspiração em autores ensolarados como Ariano Suassuna e os tantos tipos e símbolos que ele fundou e transportou do imaginário nordestino para o mundo.
Há na programação citações ainda mais explícitas à nossa produção teatral. Parido do punho do próprio Ariano, em carne e pena, o clássico Auto da Compadecida chega ao Festival com sotaque mineiro, numa belíssima montagem do Grupo Maria Cutia, com a direção cênica precisa e sensível de Gabriel Villela, que conseguiu unir a cultura do cangaço pernambucano ao barroco mineiro, sem sair da trilha aberta pelo Movimento Armorial de Ariano.
São montagens que nos representam e, ao mesmo tempo, nos apresentam a nós mesmos, além de nos hastear bandeira a congregar territórios artísticos, afetivos e cívicos, num país assombrado e repartido por um projeto de poder excludente. Em cima e embaixo dos palcos, durante e depois do 21º Festival Recife do Teatro Nacional, que a arte e a força nordestina persistam farol aceso a nos guiar.

* Presidente da Fundação de Cultura Cidade do Recife

Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco