Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Economia

Dia 6 de junho

Nova etapa de flexibilização abrange serviços de veículos e escritórios

Publicado em: 30/06/2020 17:55 | Atualizado em: 30/06/2020 19:38

Bruno Schwambach ressaltou que análises estão sendo feitas com recortes regionais.  (Foto: Governo de Pernambuco/Divulgação)
Bruno Schwambach ressaltou que análises estão sendo feitas com recortes regionais. (Foto: Governo de Pernambuco/Divulgação)
A Região Metropolitana do Recife vai avançar mais uma etapa do plano de flexibilização das atividades econômicas. A partir da próxima segunda-feira, atividades comerciais de vendas de veículos, que estavam funcionando com 50% dos funcionários, vão poder abrir em sua totalidade. Esta nova etapa também abrange os serviço de escritório, que poderão funcionar com 50% do efetivo. O avanço é válido para 50 municípios das gerências regionais de saúde do Recife, Limoeiro e Goiana, e seguem protocolos específicos. O Agreste, Sertão e regional de Palmares vão permanecer nas etapas que se encontram atualmente. Por outro lado, a reabertura dos bares e restaurantes, que faz parte da etapa seis do plano de retomada, ainda não tem nada definida. 

O plano de flexibilização das atividades econômicas completa um mês nesta quarta-feira e ele avança de acordo com a análise dos dados epidemiológicos, inclusive com recortes regionais. "O nosso plano é dinâmico e estamos fazendo os ajustes necessários. Por isso essas três gerências regionais, do Recife, Goiana e Limoeiro, vão avançar para a etapa cinco e para as outras regiões vai depender dos números, que serão analisados no final de semana, para poder fazer anúncio de avanços. Tem que esperar a curva ser melhorada. Ela se comporta de maneira uniforme no mundo inteiro e é na estabilização e queda que conseguimos avançar no plano de flexibilização. A Região Metropolitana do Recife tem conseguido. Já para o Agreste e Sertão estamos avaliando para ver quando podemos seguir. O avanço será gradual, sempre com muito cuidado com a saúde", disse Bruno Schwambach, secretário de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco. 

O restante do estado que não faz parte das regionais do Recife, Limoeiro e Goiana permanecem nas etapas que se encontravam. "As regionais de Palmares, Garanhuns e Caruaru continua na etapa dois do plano de flexibilização. Além disso, Caruaru e Bezerros regrediram e estão em um momento de isolamento mais rígido. Já as regionais de Arcoverde, Salgueiro, Petrolina, Ouricuri, Serra Talhada e Afogados da Ingazeira seguem na etapa quatro. Os dados serão analisados no final da semana epidemiológica para ver se a gente vai poder avançar ou não", explicou Schwambach. 

Bares e restaurantes
A reabertura dos bares e restaurantes permanece na etapa seis, que é a próxima a ser anunciada no plano de flexibilização nas regionais do Recife, Limoeiro e Goiana. Inicialmente, essas atividades estavam previstas para voltar na etapa sete, mas foram antecipadas. Porém, ainda não tem data prevista para a retomada deste setor acontecer. "Estamos em conversa com a Abrasel-PE e estamos bem avançados nos protocolos referentes a esses setores. No anúncio passado do plano de flexibilização antecipamos uma etapa para a reabertura de bares e restaurantes e ela continua lá. Cada regional de saúde está em uma etapa do plano, mas para o Recife, Goiana e Limoeiro continua previsto para a próxima etapa", ressaltou Bruno Schwambach, secretário de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco. 

Polo de confecções
A reabertura do Polo de Confecções, que está prevista para a etapa cinco, continua suspensa, já que as atividades econômicas continuam sem avançar no plano de flexibilização porque as regionais do Agreste ainda não chegaram nesta etapa. A situação será reavaliada na próxima terça-feira. "Sabemos que esta é uma atividade muito importante para o estado, com cerca de 250 mil pessoas trabalhando nela. Como todo segmento, é necessário que se adapte a este momento, algumas medidas são necessárias para seguir funcionando neste período de pandemia. Demos apoio através da cadeia têxtil, desenvolvemos um modelo de máscara e de avental e conseguimos reverter boa parte das atividades produtivas, que não ficaram fechadas. Parte da comercialização é possível de fazer por meio de novos mecanismos, como vendas online, ponto de coleta e delivery. A gente espera que os números da saúde melhores para que possa flexibilizar esses centros comerciais ao público", pontuou Bruno Schwambach. 
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Itália proíbe entrada de viajantes brasileiros
10/07 Manhã na Clube com Rhaldney Santos
Burro invasor de lives faz santuário de animais arrecadar dinheiro
Seminário discute novo marco legal do saneamento básico
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco