Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Economia

MERCADO FINANCEIRO

Bolsa fecha em queda com saída de Mansueto e risco de 2ª onda de Covid

Por: FolhaPress

Publicado em: 15/06/2020 18:55

 (Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil)
Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil
As preocupações com uma possível nova onda do coronavírus somadas ao anúncio da saída do secretário do Tesouro Nacional, Mansueto Almeida, mantiveram a Bolsa brasileira no vermelho nesta segunda-feira (15), apesar da inversão de tendência no exterior.

O Ibovespa, principal índice acionário do país, terminou o pregão com queda de 0,45%, a 92.375 pontos.

Segundo o analista da Rico Investimentos Matheus Soares, apesar de a notícia sobre a saída de Mansueto não ser novidade, o viés liberal e o trabalho do secretário agradava o mercado e poderia ter pesado mais na Bolsa de Valores brasileira.

"Mas já foi anunciado o nome do novo secretário do Tesouro e o mercado parece ter gostado da nomeação de Bruno Funchal como substituto de Mansueto, entendendo que com ele haverá uma continuidade do que vinha sendo feito", afirmou.

O resultado do Ibovespa veio na contramão das Bolsas americanas, que inverteram o sinal após o anúncio do Federal Reserve (banco central dos EUA) de que começará a comprar títulos corporativos nesta terça-feira (16).

Para a analista de ações da Spiti, Cristiane Fensterseifer, a leitura do mercado sobre o anúncio do Fed foi positiva no exterior, o que também ajudou a arrefecer a queda da Bolsa brasileira.

"Foi um dia de forte volatilidade. Mas notícias boas saíram ao longo do dia para os ativos de risco, fazendo a bolsa melhorar. O Fed anunciou que comprará um amplo portólio de títulos de empresas", disse.

A compra será por meio de um instrumento de crédito corporativo do mercado secundário - ferramenta de emergência recentemente lançada pela autoridade monetária para melhorar o funcionamento do mercado ante a pandemia do coronavírus.

No exterior, S&P 500 e Dow Jones, subiram 0,83% e 0,62%, respectivamente.
Na Bolsa brasileira, apesar de as ações dos bancos pesarem negativamente, a recuperação dos papéis da Petrobras e da Cielo também ajudaram a diminuir o tombo do Ibovespa.

De um lado, as ações da petrolífera repercutiram o avanço de mais de 2% nos preços do petróleo, acompanhando o otimismo sobre o acordo da Opep+ e sobre a volta da demanda por combustíveis.

Referência mundial de preços, o petróleo tipo Brent subia 2,58%, às 17h, cotado em US$ 39,73. Já o petróleo dos Estados Unidos (também conhecido pelo mercado como WTI) avançava 2,21%, aos US$ 37,06.

Já os papéis da Cielo chegaram a disparar 35% no pregão desta segunda-feira (15) logo após o anúncio de que a companhia será a processadora de pagamentos do WhatsApp no novo sistema de pagamentos digitais do aplicativo. Ao final do dia, as ações da Cielo registraram alta de 14%, aos R$ 4,80.

O dólar, por sua vez, teve a quarta alta seguida nesta segunda-feira (15) e subiu 1,88%, aos R$ 5,1410. A moeda também reagiu ao anúncio do Fed e desacelerou a alta de 3,60% que chegou a registrar na máxima do dia.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Itália proíbe entrada de viajantes brasileiros
10/07 Manhã na Clube com Rhaldney Santos
Burro invasor de lives faz santuário de animais arrecadar dinheiro
Seminário discute novo marco legal do saneamento básico
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco