Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Economia

INOVAÇÃO

Startups surgem ou aperfeiçoam-se em virtude da pandemia

Publicado em: 10/05/2020 08:50

Samuel Buarque é CEO da Fiquei em Casa (Foto: Yckssa Moura)
Samuel Buarque é CEO da Fiquei em Casa (Foto: Yckssa Moura)
Uma nova realidade e a obrigatoriedade de uma nova rotina pedem, também, inéditos hábitos de vida e consumo. Diante da pandemia da Covid-19, as startups, símbolos de inovação e criatividade na resolução de problemas ou desafios diversos, podem representar o passo à frente na busca por estas novas soluções. E muitas já comprovam esta tendência. Enquanto umas são, em si, o resultado do novo ecossistema, outras se fortaleceram a partir do novo cenário. Em Pernambuco, por exemplo, foram criadas ferramentas para o setor de farmácias com tecnologia baseada no mapeamento de estoques, preços e delivery. Além disso, também no estado, foi desenvolvida uma plataforma de monitoramento da quarentena que reúne dados sobre saúde, higiene e segurança das pessoas.

Surgida há cinco anos, a Jamp exibe a disponibilidade de estoque nas farmácias do estado, via hiperlocalização. Há informações sobre preço, imagens, descrição, categoria e promoções. Com base nelas, o cliente pode comprar a medicação com o custo mais baixo e receber os produtos em casa. A área de atuação da plataforma é Recife, Jaboatão e Olindana. Está disponível em formato de app (já com 10 mil downloads realizados), para sistemas Android e iOS, além do site.

Com aporte financeiro inicial de R$ 400 mil e mais de 200 farmácias inseridas- 182 de Pernambuco, a startup possui mais de 500 mil produtos cadastrados e cerca de 800 novos itens incluídos por dia. Não há cobrança de taxa para que o lojista se cadastre. O objetivo do grupo, agora, é buscar investidores para expansão em Alagoas, Bahia e Paraíba. “Tivemos quase 500% de crescimento orgânico após a pandemia.  Temos fins lucrativos, mas estamos praticando várias campanhas como frete grátis e redução da comissão das lojas em prol de descontos para o usuário. O intuito nesse momento não é ganhar dinheiro, mas ajudar as pessoas”, esclarece o fundador da startup e um dos três sócios, Alexandre Dornellas.

Ainda na primeira quinzena de abril, a marca fechou parceria com a Rede de Farmácias Independente.  Eduardo Laranja, CEO da rede, conta que está, atualmente, com seis lojas na plataforma, além de um sortimento de aproximadamente sete mil itens dentro dela. “Ainda vamos completar um mês na Jamp, mas já percebemos que vem crescendo a procura. Temos grandes expectativas com este começo. O online deixou de ser uma opção secundária de compras”, afirma. Ele acredita, ainda, que esta é uma representação de uma importante mudança na maneira como o consumidor compra após a Covid-19. “Muitos clientes que eram fiéis às lojas físicas buscarão as vendas online com muito mais frequência. Isto já vinha sendo um desafio para as empresas. Com este novo cenário, intensificou-se e nos obrigou a ter uma aceleração nesta ferramenta e na transformação digital”, conta, complementando que, com relação ao delivery, houve um crescimento de 800% em relação ao ano anterior.

Além de empreendimentos já existentes, a pandemia propiciou a criação de outros diretamente motivados por ela. O programa Fiquei em Casa reúne dados sobre saúde, higiene e segurança das pessoas, permitindo um verdadeiro monitoramento da quarentena. Por coletar informações sobre os cuidados adotados e a localização dos usuários, pode ser utilizado por órgãos públicos, no futuro, como fonte para mapeamento de dados.

Funciona da seguinte forma:  no endereço fiqueiemcasa.com.br, é feito o preenchimento de um cadastro, aberto para lembretes e atualizações diárias. Os dados incluem idade, comorbidades, possíveis sintomas ou acometimento de doenças, interferências externas, utilização de produtos de higiene ou medicamentos e até a lembrança do hábito de lavar as mãos. De acordo com o CEO da Fiquei em Casa, Samuel Buarque, a partir destas informações traça-se o perfil da situação de risco da pessoa. “Ela ainda pode municiá-lo cotidianamente. Por exemplo: ‘ hoje eu estive em um lugar público, senti dor, estou com gripe’ e isto vai alimentando o sistema”, explica.  Os usuários vão receber um QR-CODE "pessoal", podendo mantê-lo em seus smartphones, tablets ou até pulseiras próprias.

As empresas ou instituições, de qualquer segmento, que quiserem adotar a tecnologia gratuitamente ainda podem fazer a leitura eletrônica dos seus frequentadores, ao fim do isolamento. Para o usuário, o cadastro é feito sem custos, mas se ele quiser ter um monitoramento da sua identificação mensal paga o valor de R$ 4,99. “Parte desta arrecadação com a identificação, entretanto, algo em torno de 50%, será destinada às organizações sociais que atuam com a Covid-19 e os menos favorecidos”, afirma Samuel. Até agora, a plataforma possui mais de 5 mil cadastros gerais. O objetivo, segundo Samuel, é que ela seja utilizada na retomada das atividades.  “Neste momento, quem está em isolamento já está lembrando de ter os cuidados necessários. É preciso estar ainda mais atento quando ele terminar. Atualmente, tudo é focado na infecção. Quando houver o retorno para o mundo real, é que deve ser preciso o auxílio da tecnologia para manter estes cuidados”, conclui.

Aplicativos médicos disponibilizados pela universidade

Duas plataformas disponibilizadas gratuitamente para diversos estados do Brasil, por meio de investimento da Universidade Uninassau, buscam salvar vidas em meio à pandemia. O “Atende em Casa” permite que médicos, enfermeiros ou residentes orientem pacientes a distância, por meio de videochamadas, a fim de identificar e orientar em casa possíveis casos do coronavírus.  Já o “Aprenda em Todo Lugar” é voltado para profissionais de saúde e traz conteúdos técnicos e científicos relevantes para auxiliá-los.

O primeiro, surgido no Recife, atende ainda os municípios de Jaboatão dos Guararapes, Olinda, Paulista, Cabo de Santo Agostinho, São Lourenço da Mata, Camaragibe, Caruaru e Serra Talhada, com previsão de expansão para outras cidades e estados do Brasil. Para utilizar o serviço, é necessário acessar o site www.atendeemcasa.pe.gov.br ou baixar o aplicativo Atende em Casa, disponível para smartphones com sistema Android.  Já o Aprenda em Todo Lugar é voltado para os profissionais de saúde que atuam na linha de frente do combate à Covid-19. Ele traz  informações que visam orientar os trabalhadores de saúde sobre a utilização dos EPIs e as frequentes atualizações nos protocolos de atendimento durante a pandemia, bem como outros conteúdos importantes, em vídeos e textos.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Bolsonaro aumenta IOF para custear novo Bolsa Família
Surto de Covid-19 obriga Presidente da Rússia a ficar em isolamento
Manhã na Clube: entrevistas com o deputado Eduardo da Fonte (PP), Elias Paim e Diego Martins
Tudo pronto para o lançamento da primeira viagem espacial para turistas
Grupo Diario de Pernambuco