Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Economia

SOLUÇÃO

Empresas apostam em compras antecipadas durante crise do coronavírus

Publicado em: 01/04/2020 11:07 | Atualizado em: 01/04/2020 12:40

 (Divulgação/Bitsy)
Divulgação/Bitsy
Preocupados com os possíveis efeitos econômicos da pandemia, os micro e pequenos negócios, tem incentivado clientes a continuar pagando por serviços que iriam habitualmente usufruir, deixando para desfrutar deles quando o período de confinamento acabar e os locais reabrirem. 

Os estabelecimentos apostam em vouchers pré-pagos e contribuições com recompensas em sites de crowfunding, a popularmente conhecida vaquinha online. A solução adotada nas áreas de vestuários, acessórios, alimentação e de beleza busca evitar falência e demissão de funcionários.

A medida busca dar continuidade aos negócios apesar da existência de um cenário onde as pessoas precisam ficar em casa para evitar o contágio da doença e estabelecimentos considerados não essenciais devem ficar fechados. A restrição de aglomerações públicas levou os estabelecimentos de todo o País a baixar as portas e a viver uma expectativa diária sobre a sobrevivência dos negócios.

Para incentivar clientes, eles não pedem doações, mas usam as plataformas em um modelo parecido com o dos vouchers: os interessados doam um valor e, futuramente, quando a quarentena acabar, poderão consumir a quantia doada no local. A Stella Artois, em parceria com a ChefsClub, por exemplo, criou o projeto Apoie um Restaurante. O diferencial da iniciativa é o desconto de 50%: o cliente compra um voucher no valor de R e paga apenas R, o restante é custeado pelas idealizadoras e seus parceiros. 

Em estados do sudeste como São Paulo e Rio de Janeiro, bares, restaurantes, salões de beleza e afins já estão adotando a medida. No Recife, Kaline Alcântara, que comanda a loja de multimarcas infantil e teen Bitsy, também encontrou no crowfunding a maneira de manter o compromisso com funcionários, colaboradores e fornecedores. “Somos uma microempresa, com uma margem de lucro muito relativa, variando de acordo com os meses do ano e festividades. Visto a atual situação gerada pela pandemia do COVID-19, fechamos nossa loja física por tempo indeterminado, entretanto pretendemos manter o emprego de todos os nossos funcionários e evitar, assim, o aumento do desemprego. Também temos despesas com fornecedores que precisamos honrar para que haja continuidade na cadeia produtiva e despesas de impostos estaduais que não foram isentos”, explica Kaline.

Para isso, a empresária conta com a ajuda de clientes e pessoas que desejam ajudar a loja a passar por esse momento por meio de compras de vouchers online. O objetivo da empresária é alcançar cerca de R.000 até o mês de maio e os vouchers disponíveis na plataforma de arrecadação Kickante vão de R a R.000. “Todo o valor será revertido, posteriormente, em vale compras, que poderá ser resgatado em nossa loja física à partir da normalização do horário do Shopping Recife, onde está localizada nossa loja, ou pelo nosso site após o término da campanha”, explica. A ação também tem um cunho social. A cada R$ 200,00 reais arrecadados, será doada uma lata de suplemento alimentar ao Núcleo de Apoio à Criança com Câncer (NACC).

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Rhaldney Santos entrevista Dra. Rebecca Spinelli
Rhaldney Santos entrevista Thiago Santos (UP)
Aprenda a treinar a mente com exercícios que previnem doenças e turbinam os neurônios
Enem para todos com professor Fernandinho Beltrão #Protocordados
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco