Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Economia

Fed abre linha em dólares para BC brasileiro e mais oitos países

Por: FolhaPress

Publicado em: 19/03/2020 19:16

Na quarta-feira, o BC anunciou que passará a fazer operações de compra com compromisso de revenda de títulos soberanos em dólar das instituições financeiras (Foto: Wilson Dias/Agência Brasil)
Na quarta-feira, o BC anunciou que passará a fazer operações de compra com compromisso de revenda de títulos soberanos em dólar das instituições financeiras (Foto: Wilson Dias/Agência Brasil)
O Fed, banco central dos Estados Unidos, anunciou nesta quinta-feira (19) que vai oferecer linhas de swap de divisas ­- espécie de acordo de troca de moedas - com bancos centrais de nove países, incluindo o BCB (Banco Central do Brasil). Cada país terá acesso a até US$ 60 bilhões por ao menos seis meses.

Com esse tipo de operação, o Fed tenta elevar a oferta de dólares (dar liquidez) em diferentes países, oferecendo mais segurança aos mercados locais e globais. Em momentos de crise como a deflagrada pelo coronavírus, a demanda por dólares cresce, pressionado as cotações e elevando a volatilidade.

O Fed também anunciou nesta quinta acordos com México, Coreia do Sul, Cingapura, Suécia, Dinamarca, Noruega, Nova Zelândia e Austrália.

No domingo (15), dentro do mesmo movimento, o Fed já havia reduzido os juros dessas linhas para alguns bancos centrais, como o Banco Central Europeu, o do Canadá e o da Inglaterra.

O BC disse, em nota, que a linha será utilizada para incrementar os fundos disponíveis para as operações de provisão de liquidez em dólares pela autoridade monetária. "A linha de liquidez soma-se ao conjunto de instrumentos disponíveis do BC para lidar com a alta volatilidade dos mercados em decorrência da pandemia da Covid-19", traz o comunicado.

Além disso, serão tomadas medidas regulamentares e operacionais para a implementação da iniciativa, de acordo com as regras do CMN (Conselho Monetário Nacional).

A última vez que o Fed firmou esse tipo de acordo com o Brasil foi em outubro de 2008, durante a crise financeira global. À época, a linha, que expirou em 2010, não chegou a ser utilizada, mas serviu como um seguro.

De acordo com o comunicado, o acordo visa "prover liquidez em dólares norte-americanos".

Na quarta-feira (18), o BC anunciou que passará a fazer operações de compra com compromisso de revenda de títulos soberanos em dólar das instituições financeiras. No total, são US$ 31 bilhões de títulos no mercado brasileiro. A última vez que o BC fez esse tipo de operação também foi em 2008.

Para Livio Ribeiro, pesquisador sênior da Fundação Getúlio Vargas (FGV/IBRE), a situação atual não é comparável à crise de 2008, mas à Segunda Guerra Mundial. "Temos que entender que é um cenário completamente atípico. Estamos no momento pós aversão ao risco, quando há necessidade de caixa tanto para pagamento de margem das perdas quanto para estoque. Por isso, é importante a provisão de liquidez em dólar no mundo", detalha.

Para ele, as autoridades monetárias mundiais precisarão explorar os instrumentos já conhecidos para testar a eficácia. "Não dá para prever se vai funcionar ou não, mas as medidas precisam ser tomadas. Depois, será preciso criatividade para enfrentar o que está por vir", avalia.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Notícias do dia: Enem só em 2021, Bom Jesus entre as ruas mais belas e gays podem doar sangue
Moro: Lula e Bolsonaro são extremos a serem evitados
08/07 Manhã na Clube com Rhaldney Santos
Notícias do dia: Bolsonaro doente e sem máscara, futebol vetado e inscrição para testar vacina
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco