Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Economia

AMPARO AO TRABALHADOR

Montezano diz que não vê problemas na redução dos repasses do FAT

Por: AE

Publicado em: 14/11/2019 14:22

 (Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil 	)
Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil
O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Gustavo Montezano, afirmou não ver problemas na redução dos repasses do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT) para a instituição de fomento. Pela Constituição, 40% da receita anual vai para o funding do BNDES, mas o conjunto de propostas de reformas anunciadas pelo governo federal na semana passada prevê uma redução nesse montante.

"O valor de um banco não é medido pelo passivo", afirmou Montezano, ao comentar os resultados financeiro do terceiro trimestre. O executivo citou a capacidade de atender clientes e a expertise na alocação de recursos como aspectos mais importante na avaliação de uma instituição financeira.

Segundo Montezano, o passivo, ou seja, as fontes de recursos captados pelo banco, é apenas uma variável da operação bancária. Para o presidente do BNDES, a decisão sobre o destino dos recursos do FAT cabe ao governo e ao Congresso Nacional. O executivo frisou ainda que as linhas de funding podem ser substituídas e que o BNDES possui em torno de R$ 130 bilhões em caixa.

Apesar do caixa robusto, Montezano evitou fazer estimativas sobre o quanto o BNDES poderá devolver antecipadamente da dívida com o Tesouro em 2020. Já estão previstos em torno de R$ 26 bilhões, conforme cronograma firmado no fim de 2018, mas o Ministério da Economia quer mais. Este ano, as devoluções extraordinárias ficaram em R$ 100 bilhões, além dos R$ 26 bilhões já previstos.

Segundo Montezano, a capacidade de devolução está sendo estudada pelo banco no âmbito do planejamento trienal do BNDES. A previsão é que esse planejamento, com o valor da devolução, seja anunciado na segunda ou terceira semana de dezembro.

Os diretores do BNDES informaram também que todas as operações do banco com a Odebrecht já foram provisionadas, num total de R$ 8 bilhões, como disse a diretora Financeira, Bianca Nasser.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Músico vence limitações do distanciamento social oferecendo shows particulares por encomenda
Destaques da semana: caso Miguel, Decotelli fora do MEC e retorno do Campeonato Pernambucano vetado
Inscrições para o Vestibular 2020.2 da Unicap vão até 15 de julho
Um mês sem Miguel : tudo que fazia era por ele, diz Mirtes
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco