INVESTIMENTO Suape ganha laboratório farmacêutico para desenvolver a cura do vitiligo

Por: Divane Carvalho - Poder DP

Publicado em: 03/10/2019 08:52 Atualizado em:

Foto: Peu Ricardo/DP
Foto: Peu Ricardo/DP
O laboratório Aché está desenvolvendo um medicamento para curar o vitiligo e vai fabricá- -lo na planta que inaugurou, ontem, no Complexo Industrial de Suape, no Cabo Santo Agostinho, quando estiver pronto. A boa nova foi anunciada pela presidente do Aché, Vânia Nogueira de Alcâncara Machado, que, ao lado do governador Paulo Câmara (PSB), cortou a fita das instalações da primeira fase de sua nova fábrica, um investimento da ordem de R$ 600 milhões, com capacidade para produzir 700 milhões de unidades de medicamentos por ano.

Segundo a diretora de Qualidade, Assuntos Regulatórios e PMO (Project Management Office) do Aché, Gabriela Mallmann, o laboratório está desenvolvendo sozinho, sem parcerias, o medicamento para curar o vitiligo, destacando que, no mundo, não existe ainda um remédio capaz de curar a doença e os tratamentos apenas a amenizam. Ela disse também que, além de embalagens, a nova unidade vai fabricar de 60% a 65% dos medicamentos sólidos da lista dos 160 da empresa e isso começará já a partir de 2022.

O governador Paulo Câmara disse que a inauguração do Aché era resultado do seu trabalho e, apesar da crise ser nacional, “estamos mostrando que Pernambuco tem poder de reação e mecanismos capazes de receber novos empreendimentos. E também capacidade de crescer acima do Brasil”. As instalações receberam as bênçãos do padre Rinaldo Lopes. Cerca de 500 convidados cantaram o Hino Nacional comemorando a inauguração, e o cantor Nando Cordel declamou um cordel sobre a criação do laboratório.

O LABORATÓRIO

Empresa 100% brasileira com 53 anos de atuação, o Aché inaugurou a 1ª fase de sua nova fábrica, que inclui a área de embalagens de produtos sólidos e o centro de distribuição, e a previsão é que sejam produzidas aproximadamente 80 milhões de unidades já em 2020. O novo complexo deve gerar 3 mil empregos diretos e indiretos até o final de 2022. Nesta primeira fase, em 2020, serão 160 empregos diretos e 150 indiretos.

Em um terreno de 250 mil metros quadrados, a fábrica está sendo construída de acordo com as regulamentações da Anvisa e também considerando atuação nos mercados norte -americano (FDA – Food and Drugs Administration) e europeu (EMA- European Medicines Agency), aproveitando a proximidade com o Porto de Suape e potencializando a aprovação da comercialização de medicamentos em países onde o Aché ainda não atua.

Com cerca de 4.900 empregados, o laboratório possui uma das maiores forças de geração de demanda e de vendas do setor farmacêutico no Brasil. Para atender às necessidades dos profissionais da saúde e consumidores, o Aché oferece um portfólio com 320 marcas em 734 apresentações de medicamentos sob prescrição, genéricos e isentos de prescrição (MIPs), além de atuar nos segmentos de dermocosméticos, nutracêuticos, probióticos e biológicos.Ao todo, são 131 classes terapêuticas e 25 especialidades médicas atendidas.

Os produtos do Aché estão em 26 países das Américas, África, Ásia e Europa. Em 2018, o Aché lançou oito novos produtos no mercado internacional e aprovou seis novos registros e o laboratório possui plantas industriais em São Paulo, Paraná, Goiás e agora em Pernambuco. Além disso, uma nova planta da Bionovis está em construção na cidade de Valinhos (SP).


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.