Festival Rec'n'Play superou expectativas e reuniu 35 mil inscritos em mais de 550 atividades

Por: Luciana Morosini - Diario de Pernambuco

Publicado em: 07/10/2019 18:35 Atualizado em:

Telão foi instalado do lado de fora do Museu Cais do Sertão para que público acompanhasse palestras. Foto: Beto Oliveira/Divulgação.
Telão foi instalado do lado de fora do Museu Cais do Sertão para que público acompanhasse palestras. Foto: Beto Oliveira/Divulgação.

A expectativa era de reunir entre 20 mil e 25 mil inscritos durante os quatro dias do Rec'n'Play, mas o número foi superado em 10 mil, totalizando 35 mil participantes no festival encerrado no último sábado, no bairro do Recife Antigo. E este não foi o único saldo que superou as expectativas e trouxe resultados acima do esperado, já que o evento cresceu em sua reta final. A programação contava com 260 palestrantes inicialmente, mas chegou a 700. Já em relação às atividades, estavam previstas 300, porém superou a casa dos 550. Além disso, o Rec'n'Play cumpriu a missão de ocupar as ruas do bairro e fazer uma conexão entre a tecnologia e a cidade.

Para Pierre Lucena, presidente do Porto Digital, o saldo final foi muito positivo. "Crescemos muito na reta final. A gente achou que poderia chegar a até 25 mil inscritos, mas foram 35 mil. Além disso, outras coisas chamaram a atenção, como a procura para fazer palestras e atividades na reta final, por isso o número aumentou muito do que a gente tinha estimado", explicou. Ele ainda ressaltou que a nacionalização do evento ajudou a atrair um público de outros estados também. "Conseguimos atrair mais gente e acho que isso vai ajudar a trazer ainda mais gente de fora, é um festival que entrou na rota das pessoas", acrescentou.

Apesar de ter atrações nacionais, o Rec'n'Play manteve a essência de mostrar o que tem sido feito em Pernambuco em relação à tecnologia, economia criativa e empreendedorismo. "Foi tudo muito positivo para o nosso ecossistema. Fiz questão de colocar muita gente de empresas daqui nas mesas para debater. Todo mundo ficou conhecendo o que é feito no Porto Digital, criou uma atmosfera muito positiva. Além de ter ter criado uma ambiência de tecnologia para atrair os jovens para a área da inovação, acho que furou a bolha que estávamos e avançamos nisso", disse Pierre Lucena.

Uma questão que será avaliada para ser resolvida para a próxima edição diz respeito às filas, já que foram muito longas nesta edição em várias atividades. "Vamos resolver com alguma solução tecnológica, nem todo mundo vai conseguir entrar em tudo, mas não é legal ficar quatro horas na fila, não é o que a gente quer. As grandes atrações ajudaram a furar a bolha da galera mais local, ampliou a ocupação da cidade, as classes C e D também foram, conseguimos ampliar o público que frequenta o Porto Digital e agora vamos pensar em como resolver isso", ressaltou.

Para a quarta edição do Rec'n'Play Pierre Lucena já adianta uma novidade. "Queremos ter um evento de business dentro do festival, como uma programação à parte junto com um parceiro. A ideia é trazer palestrantes mais técnicos da área de negócios. Também queremos ocupar ainda mais as ruas com tecnologia e ampliar a participação das crianças", revelou.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.