Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Economia

Estimativa

ONS reduz previsão de crescimento de carga de energia para outubro

Publicado em: 04/10/2019 18:14

Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil (Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil)
Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil (Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil)
O Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) reduziu a previsão de crescimento da carga de energia no País em outubro para 2,1%, na comparação com o mesmo mês do ano passado, abaixo dos 2,8% estimados inicialmente, na primeira revisão do Programa Mensal de Operação (PMO). A carga no chamado Sistema Interligado Nacional (SIN) deve chegar a 68.845 MW médios.

Houve redução das estimativas na maior parte do País. No subsistema Sudeste/Centro-Oeste, principal centro de carga do País, o corte na projeção foi de 400 MW médios, ou 1,1 ponto porcentual (p.p.), para 40.276 MW médios, carga 2,4% maior frente o registrado em outubro do ano passado.

Já no Nordeste, a diminuição foi de 103 MW médios (0,9 p.p.), para 11.129 MW médios, o que corresponde a uma queda de 2,1% na comparação anual. No Norte, por sua vez, a redução foi de 17 MW médios (0,4 p.p.), para 5.791 MW médios, alta de 5,1% frente outubro de 2018. Na contramão, a previsão de carga para o Sul cresceu 29 MW médios (+0,3 p.p.), para 11.649 MW médios, 2,6% maior na comparação anual.

Hidrologia
O ONS também reduzir a previsão de chuvas em todo o País, para níveis ainda mais baixos ante a média histórica para outubro. A Energia Natural Afluente (ENA) na região Sudeste, considerada a caixa d'água do País, deve ficar em 63% da média de longo termo (MLT) para o período, ante previsão inicial de 72%. No Sul, o volume de água que chegará aos reservatórios chegará a 37% da MLT, 9 pp abaixo do estimado anteriormente. Nordeste, o porcentual passou de 37% para 33% da médias histórica de outubro e no Norte, a afluência ficará em 59%, abaixo dos 65% estimados na semana passada.

Com as novas afluências esperadas, o nível dos reservatórios deve cair mais que o previsto, especialmente no Sudeste e Sul. No Sudeste, a Energia Armazenada deve chegar a 22,9% em 31 de outubro, abaixo dos 23,7% estimados inicialmente, enquanto o Sul o indicador ficará em 36,4%, ante os 38,7% anteriormente estimados. No Nordeste a Energia Armazenada esperada para o fim de outubro foi mantida em 37,3%, e no Norte a baixa foi de 0,4 p.p. Na projeção, para 31,4% ao fim do mês.

CMO
Diante de tais projeções, o ONS elevou em 12,9% o Custo Marginal de Operação (CMO) para a próxima semana operativa (entre 5 e 11 de outubro) em todos os sistemas do País, para R$ 259,49 por megawatt-hora (MWh), ante os em R$ 229,83/MWh da semana passada.

O CMO é utilizado como referência para a definição do PLD, indicador que deve ser divulgado esta tarde pela Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE). O PLD é uma das variáveis que determinam a cor da bandeira a ser acionada no próximo mês.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Depois de campanha, estudante com altas habilidades ganha equipamento para assistir a videoaulas
26/05: Manhã na Clube com Rhaldney Santos
A pandemia em Pernambuco - notícias de 25/05
Curados da Covid-19 ressaltam importância do isolamento
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco