LIVROS O início da nova história da Livraria Jaqueira

Por: Patrícia Monteiro

Publicado em: 09/10/2019 10:12 Atualizado em: 09/10/2019 10:29

Com investimento de R$ 5 milhões, o espaço de 2.730m2 procura replicar a temática do parque urbano que leva seu nome. Foto: Leandro Santana / Especial DP Foto
Com investimento de R$ 5 milhões, o espaço de 2.730m2 procura replicar a temática do parque urbano que leva seu nome. Foto: Leandro Santana / Especial DP Foto
Quando, em julho de 2018, a Livraria Cultura do Bairro do Recife anunciou que fecharia suas portas, para muitos o sentimento foi de quase orfandade. A boa notícia para este público é que a Livraria Jaqueira, que ocupa agora o espaço físico do antigo empreendimento, veio com o objetivo de fazer cada minuto desta espera de mais de um ano valer a pena. Aberta aos clientes a partir da próxima quinta (10), a casa foi apresentada aos jornalistas, em coletiva, na manhã de ontem pelos proprietários.

Com investimento de R$ 5 milhões, o espaço de 2.730m2 leva a assinatura da Ponto 5 Arquitetura e procura replicar a temática de um parque urbano, como o que carrega em seu nome. Para isso, há a reprodução de uma árvore em tamanho real ao centro. A partir dela, surgem caminhos simulando os do parque, com carpete que remete à grama e plantas eternizadas em várias áreas. As arquitetas aproveitaram cerca de 50% do mobiliário da antiga Livraria Cultura, no andar superior. “Não fazia sentido retirar tudo e ter desperdício de material, de custo. Todos os móveis do térreo, entretanto, foram desenhados por nós. Além disso, fizemos peças semelhantes a barraquinhas para colocar alguns livros, além de uma kombi onde estão dispostas revistas”, relata uma das sócias, Mariana Magalhães. Todo o projeto foi concebido em seis meses.

Dispostas nesta ambientação, há dois cafés – um no formato to-go (comprar e levar rapidamente) e outro para sentar e aproveitar – ambos com menu assinado pela chef Taci Teti. A estrutura é composta ainda por gráfica, papelaria, vinoteca com 300 rótulos, área geek e um espaço licenciado Disney. O andar superior traz uma concepção mais voltada aos adultos com livros de história, gastronomia, técnicos e jurídicos além de serviços gráficos, mesas compartilhadas e um auditório com capacidade para 120 pessoas, dotado de iluminação cenográfica, som profissional e projetor. Ainda em cima, a cafeteria/restaurante possui mais de 60 itens no cardápio, incluindo comida fit, pratos low carb e do dia, com preços mais acessíveis. Toda a fabricação é própria.

A Livraria possui ainda um amplo espaço de papelaria, uma vez e meio maior do que o da matriz. O investimento em um dos carros-fortes da antiga Livraria Cultura, o setor de música, também continua em destaque. “Era das lojas que mais vendia na rede. Temos, inclusive, colaboradores que eram de lá. Ainda estamos com dificuldades sobre fornecedores de filmes DVDs, Bluray, consoles, mas trabalhando nisso pois não queremos perder este foco”, explica Fernando Mendes Neto, diretor financeiro. A seção infantil, que terá réplicas de bonecos da Disney com 2,20m de altura, foi mantida no mesmo espaço por, segundo os proprietários, remeter a uma forte memória afetiva dos antigos frequentadores. A Livraria Jaqueira conta com um acervo de 100 mil livros de aproximadamente 190 editoras, que atuam com modelo de consignação. O site do espaço já está no ar, mas o e-commerce, em estudo, ainda não está disponível.

Um dos maiores destaques é o espaço do café interno que traz uma espécie de unidade fabril encolhida onde o cliente pode assistir a todo o processo de torrefação do grão verde. São quatro tipos de grãos vindos de quatro regiões diferentes com procedência rotativa. Por enquanto, Norte do Paraná, Minas, São Paulo e Espírito Santo. O projeto, inédito no Brasil, foi desenvolvido artesanalmente desde 2016 pela empresa Carmomak, maior exportadora de torradores industriais para Ásia e Europa. Com investimento em torno de R$ 180 mil, a máquina feita a mão tem um aspecto alegórico com capacidade para operação de 10kg de café em 20 minutos e medição de temperatura a cada 30 segundos. Cinco funcionários a operam. O cliente acompanha todo o processo, que inclui elevação de caneca na máquina, tudo sem interação da mão humana. Ao lado deste espaço, ainda há um local onde ele pode levar seu grão, ou comprar, e fazer seu próprio café.

Fernando Medes conta que o empreendimento contou com a parceria do Banco do Nordeste (R$ 3 milhões) além de outras duas instituições financeiras privadas e recursos próprios. O tempo de retorno previsto do investimento é de 24 meses enquanto a estimativa de público, considerada a contagem de fluxo da Livraria Cultura, é de 1.500 a 3 mil, no domingo. A casa, que possui cerca de 90 funcionários, abrirá de segunda a sexta, das 8h às 20h; no sábado, das 9h às 21h; no domingo, das 9h às 18h e no feriado, das 10h às 19h.





Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.