OPERAÇÃO ESTRELA CADENTE MPF e PF deflagram operação sobre vazamentos do Copom em favor de fundo do BTG

Por: Agência Estado

Por: FolhaPress - FolhaPress

Publicado em: 03/10/2019 11:07 Atualizado em: 03/10/2019 14:18

Marcelo Camargo/Agência Brasil
Marcelo Camargo/Agência Brasil
Uma operação conjunta do Ministério Público Federal em São Paulo (MPF-SP) e Polícia Federal investiga vazamentos de resultados de reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) ocorridos nos anos de 2010, 2011 e 2012. A deflagração da operação "Estrela Cadente" ocorreu nesta quinta-feira (3).

Segundo informação que consta no site do MPF-SP, a investigação, instaurada a partir de colaboração premiada do ex-ministro da Fazenda Antônio Palocci, apura o fornecimento de informações sigilosas sobre alterações na taxa Selic, por parte da cúpula do Ministério da Fazenda e do Banco Central, em favor de um fundo de investimento administrado pelo BTG Pactual, que, com elas, teria obtido lucros extraordinários de dezenas de milhões de reais.

Na operação, está sendo cumprido um mandado de busca e apreensão expedido pela Justiça Federal de São Paulo, no endereço sede do Banco BTG Pactual em São Paulo, para levantamento de novas evidências sobre o caso sob investigação.

Ainda de acordo com informação do MPF, é investigada a possível prática, entre outros, dos crimes tipificados nos artigos 317 (corrupção passiva) e 333 (corrupção ativa), ambos do Código Penal, art. 27-D, da Lei nº 6.385/76 (informação privilegiada), bem como o art. 1º, da Lei nº 9.613/98 (lavagem e ocultação de ativos).

Os detalhes do inquérito policial, segundo o MPF, seguem sob segredo de justiça.

Resposta

O BTG afirma que o fundo possuía um único cotista pessoa física, que nunca foi funcionário do banco ou teve qualquer vínculo profissional com o BTG ou qualquer de seus sócios. "O Banco BTG Pactual exerceu apenas o papel de administrador do referido fundo, não tendo qualquer poder de gestão ou participação no mesmo".
 
O Banco Central ainda não se manifestou.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.