CESTA BÁSICA Diferença de preços entre produtos da RMR e Noronha pode chegar a mais de 654%

Publicado em: 01/10/2019 08:30 Atualizado em:


Procon-PE realizou primeira pesquisa de Cesta Básica no arquipélago de Fernando de Noronha. Foto: Procon-PE / Divulgação
Procon-PE realizou primeira pesquisa de Cesta Básica no arquipélago de Fernando de Noronha. Foto: Procon-PE / Divulgação
O resultado da primeira pesquisa de cesta básica em Fernando de Noronha feita pelo Procon-PE, em solicitação à administração local, mostrou diferenças acentuadas entre preços praticados na ilha. As divergências também são grandes também quando comparados os valores do local aos da Região Metropolitana do Recife. O quilo do melão, por exemplo, pode variar de R$ 1,59, na RMR, a R$ 12,00 em Noronha. A variação de percentual equivale a nada menos do que 654,72% . Outros preços oscilam em até 414,29% como é o caso da água sanitária que pode ser encontrada por R$ 1,75 no Recife e R$ 9,00 em Noronha.

Os fiscais do órgão de defesa do consumidor passaram por oito estabelecimentos de Fernando de Noronha. Foram realizadas duas pesquisas: uma de cesta básica (alimentação; limpeza doméstica e higiene pessoal) e outra com laticínios, frutas, verduras e bebidas com grandes diferenças entre os preços dos mercadinhos locais. No primeiro estudo, outro dos produtos de maior diferença percentual foi o absorvente, R$ 185,43%. Ele pode ser encontrado por R$ 3,50 e por R$ 9,99. 

Na segunda pesquisa, os preços também diferem bastante na própria ilha: o abacaxi, por exemplo, pode ser encontrado na ilha por R$ 5 ou R$ 15. Uma diferença de nada menos do que 200%. O quilo do tomate pode ser encontrado por R$ 8,28 e por R$ 20,00, uma diferença de 141,55%. O achocolatado possui uma diferença percentual de 100%: o menor valor é de R$ 2,00 e o maior de R$ 4,00. Já nas bebidas alcoólicas, o whisky apresenta uma diferença de 58,72%.

Quanto às variações de preços entre Noronha e Recife, além do melão, outras frutas, legumes e verduras também são responsáveis pelas discrepâncias. O tomate, por exemplo, possui mudança de 509,76% entre os dois cenários (R$ 3,20 e R$ 20). Itens até mais básicos com água mineral também possuem variações extremas (405,05%) de R$, 099 a R$ 5.

O consumidor que queira ter acesso a pesquisa pode solicitar por meio do e-mail: imprensaproconpe@gmail; ou pegar na unidade do Procon de Noronha, que fica localizado BR-363, no Centro de Geração de Renda, ao lado da Escola Estadual de Fernando de Noronha.



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.