Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Notícia de Economia

Dados

Brasil tem menor número de empresas ativas desde 2009

Por: FolhaPress

Publicado em: 17/10/2019 21:57

Foto: Arquivo/Agência Brasil (Foto: Arquivo/Agência Brasil)
Foto: Arquivo/Agência Brasil (Foto: Arquivo/Agência Brasil)
O número de empresas ativas no Brasil apresentou seu menor registro desde 2009, de acordo com números divulgados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) nesta quinta-feira (17). Os dados são da Demografia das Empresas e Estatísticas de Empreendedorismo.

Há 10 anos, o Brasil tinha 4.268.930 empresas ativas, no que foi o menor número até 2017, o último analisado pela pesquisa, quando registrou 4.458.678.

No período, o saldo de empresas no mercado se manteve positivo até 2013, já que ia aumentando anualmente. No ano em questão, porém, após apresentar seu maior registro - 4.775.098 empresas ativas -, a estatística passou a cair.

"Esse número vem se reduzindo, com saldos negativos em todos os anos desde 2014, quando teve a maior queda, de quase 218 mil empresas", disse a analista da pesquisa, Denise Guichard.

Em 2014, o Brasil tinha 4.557.411 empresas ativas, marca menos do que o registro anterior. E só diminuiu a partir daí.

"Havia quase 4,8 milhões de empresas em atividade no país em 2013, com um saldo de 175 mil em relação a 2012, e o número de empresas crescendo", lembrou Denise Guichard, do último registro positivo da análise feita pelo IBGE.

O principal ano de perda para as empresas foi também o do início da crise econômica no Brasil: 2014, quando 217.687 companhias fecharam as portas. Até 2017, outras 98.993 não sobreviveram.

Cerca de 40% das 597,2 mil empresas criadas em 2012 estavam ativas em 2017. Ou seja: seis em cada dez companhias encerraram suas atividades ao longo desses cinco anos. Entre 2008 e 2013, a marca era de 47,8%.

De acordo com o IBGE, a tendência é que a taxa de sobrevivência das empresas no Brasil se reduza com o passar dos anos. 

"Por exemplo, das organizações criadas em 2012, 78,9% sobreviveram após um ano de funcionamento, 64,5% após dois anos, 55% após três anos, 47,2% após quatro anos e 39,8% estavam abertas em 2017. Já das 558,6 mil empresas criadas em 2008, 47,8% sobreviveram em cinco anos", disse o instituto.

Além disso, a quantidade de pessoas ocupadas assalariadas também teve sua pior marca desde 2010. 

Foram 31.877.046 no último ano do estudo, com um ápice de 35.22.0.894 em 2014. Desde então, despencou, marcando 30.821.123 no último ano analisado.

Desse montante, 14,3% dos assalariados são de nível superior. Já nas novas empresas, o pessoal com nível superior é somente de 8,7%. Nas que fecharam, corresponde a 7,6% do pessoal ocupado assalariado, diz a pesquisa.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
De 1 a 5: artistas que trabalham com barro
Sobe, Lia, sobe.
João Alberto entrevista Larissa Lins
Como se preparar para as provas do SSA 3 da UPE
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco