Final de ano Até sete mil vagas de empregos temporários na Região Metropolitana do Recife

Por: Luciana Morosini - Diario de Pernambuco

Publicado em: 01/10/2019 08:00 Atualizado em: 30/09/2019 19:17

Oportunidades estão nas lojas do Centro do Recife e também nos shoppings, bares e restaurantes. Foto: Rafael Martins/Arquivo DP
Oportunidades estão nas lojas do Centro do Recife e também nos shoppings, bares e restaurantes. Foto: Rafael Martins/Arquivo DP

Quando outubro chega, a atenção de quem busca uma oportunidade no mercado de trabalho se volta para a abertura das vagas temporárias de final de ano. A expectativa para este ano é que entre outubro e dezembro sejam abertas entre seis e sete mil vagas de empregos temporários na Região Metropolitana do Recife, número que se mantém estável em relação ao mesmo período do ano passado, segundo a Câmara de Dirigentes Lojistas do Recife (CDL-Recife). As oportunidades estão concentradas nos setores do comércio varejista e de serviços, este último com foco no lazer.

A procura pelos trabalhadores para os empregos temporários começa agora no início de outubro, mas deve se intensificar no final de novembro e começo de dezembro, com a maior proximidade das festas de final de ano. Para quem deseja conquistar uma oportunidade, este é o momento ideal para conseguir a vaga. "As pessoas devem procurar as agências de trabalho e emprego e também entregar o currículo de porta em porta. Esse é um trabalho de formiguinha que ainda funciona. E a hora é agora porque vai começar a fase de entrevistas e, aos poucos, as vagas vão sendo disponibilizadas", afirma Cid Lôbo, presidente da CDL-Recife.

As oportunidades despontam, principalmente, nos setores de comércio e serviços, como nos shoppings, lojas de rua do Centro, restaurantes, bares e recepções. E, apesar de serem temporárias, podem se tornar um emprego fixo e com carteira assinada depois do período. "Em torno de 25% dos que conseguem uma vaga temporária conseguem ser efetivados depois. E o bom é que para estas vagas não é exigida muita experiência, para quem nunca trabalhou, ou não discrimina pessoas mais experientes, como trabalhadores de 40 ou 50 anos. Tem vaga para todo mundo. Uma loja de surfe vai buscar alguém mais jovem, enquanto uma sapataria tradicional, alguém mais experiente. Essas oportunidades podem abrir as portas para o primeiro emprego ou para uma segunda chance", ressalta Cid Lôbo.

Brasil
No Brasil, segundo levantamento da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) realizado em todas as regiões, a estimativa é que sejam abertas 103 mil vagas temporárias até dezembro, uma alta de 43,8 mil postos de trabalho em relação ao previsto em 2018. A pesquisa ainda aponta uma queda de 72% para 69% entre os empresários que não têm a intenção de contratar neste final de ano. Já o percentual dos que devem contratar pelo menos um novo colaborador subiu de 17% para 23%. Além disso, a maior parte dos empresários deve contratar mais neste ano do que em 2018 (48%), enquanto 37% planejam abrir o mesmo número de vagas e apenas 9% pretendem contratar menos.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.