AJUSTE Guedes: Presidente já falou que salário mínimo tem que seguir indexado

Por: AE

Publicado em: 25/09/2019 15:53 Atualizado em:

Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que despesas como o salário mínimo, educação básica e saúde preventiva continuarão com crescimento indexado. Em audiência na Comissão Mista de Orçamento (CMO) do Congresso Nacional, Guedes disse que a indexação de outras despesas, como o restante dos gastos com saúde, será analisada e discutida pela equipe econômica e o Congresso Nacional.

"O salário mínimo o presidente Jair Bolsonaro já falou que tem que seguir indexado. Educação básica e saúde preventiva também. Outra saúde, vamos conversar a respeito", afirmou. 

Guedes afirmou que encaminhará o projeto do chamado pacto federativo assim que a reforma da Previdência for aprovada pelo Senado. O ministro voltou a dizer que não é possível "furar o teto" de gastos, mas sim "quebrar o piso" ao mudar a dinâmica das despesas obrigatórias. 

"O principal problema fiscal é descontrole de gastos, que estão à frente da arrecadação há 40 anos", afirmou. 

Poderes 

Guedes ressaltou o bom relacionamento entre o Executivo e as duas casas do Legislativo e negou que exista crise entre os poderes. O ministro falou ao lado do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que chegou ao local pouco depois do início da fala de Guedes. "Não estou vendo que estamos em crise dramática, estou vendo democracia definindo limites. A demarcação de território de poderes independentes", afirmou. 

Ele deu como exemplo da colaboração entre os poderes a tramitação da reforma da Previdência e disse estar confiante de que essa colaboração continuará em pautas como o pacto federativo. 

Guedes participa de audiência pública na CMO que discute o projeto de lei da lei orçamentária de 2020 e o Plano Plurianual da União (PPA) para o período de 2020 a 2023.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.