Pesquisa Produção industrial em Pernambuco tem recuo maior do que a média nacional

Por: Diario de Pernambuco

Publicado em: 12/07/2019 14:42 Atualizado em: 12/07/2019 14:54

Enquanto o estado registrou queda de 0,6%, a taxa nacional foi negativa em 0,2%. Foto: Ricardo Almeida / ANPr
Enquanto o estado registrou queda de 0,6%, a taxa nacional foi negativa em 0,2%. Foto: Ricardo Almeida / ANPr

A produção industrial em Pernambuco teve um recuo mais acentuado do que a média nacional em maio em relação a abril deste ano, na série com ajuste sazonal. Enquanto o estado registrou queda de 0,6%, a taxa nacional foi negativa em 0,2%. Dos 15 locais analisados pela Pesquisa Industrial Mensal (PIM) Regional, elaborada pelo IBGE, oito apresentaram variação negativa, sendo Pernambuco o que recuou menos entre eles. As quedas mais acentuadas foram no Espírito Santo (-2,2%), Rio Grande do Sul (-1,4%), Santa Catarina (-1,3%) e Minas Gerais (-1,0%), com Região Nordeste (-0,9%), Ceará (-0,9%), Mato Grosso (-0,7%). Em contrapartida, o Pará teve a maior alta da série histórica (59,1%) e as demais taxas positivas foram no Rio de Janeiro (8,8%), Goiás (1,6%), Amazonas (1,2%), Bahia (1,1%), Paraná (0,7%) e São Paulo (0,1%).

Quando comparado com maio de 2018, apesar de o Brasil ter registrado alta, de 7,1%, Pernambuco teve um crescimento ainda maior do que a média nacional, ficando em 13,6%. Esta foi a quinta maior taxa entre os locais analisados, ficando atrás do Paraná (27,8%), Rio Grande do Sul (19,9%), Santa Catarina (19,3%) e Goiás (13,9%). Bahia (12,3%), São Paulo (11,7%) e Ceará (11,4%) também registraram taxas positivas acima da média nacional (7,1%), enquanto Região Nordeste (6,6%), Mato Grosso (5,7%), Rio de Janeiro (5,1%) e Amazonas (3,0%) completaram o conjunto de locais em alta. O Espírito Santo registrou a maior queda, de 17,4, enquanto Minas Gerais (-2,4%) e Pará (-0,7%) tiveram as demais taxas negativas.

No acumulado do ano, em relação ao mesmo período de 2018, enquanto a produção industrial apresentou queda de 1,7% no Brasil, Pernambuco seguiu caminho contrário e teve alta de 1,5%. Porém, outros locais tiveram crescimento mais elevado, como Paraná (10,4%), Rio Grande do Sul (8,8%) e Santa Catarina (6,1%). As outras taxas positivas foram no Ceará (3,6%), Goiás (3,2%), São Paulo (0,5%) e Bahia (0,1%). Já a redução atingiu sete dos 15 locais, com destaque para Espírito Santo (-11,8%), Pará (-6,2%) e Minas Gerais (-4,3%). Mato Grosso (-2,7%), Amazonas (-1,8%), Rio de Janeiro (-1,5%) e Região Nordeste (-1,4%) completaram o conjunto de locais com recuo acumulado no ano.

Já quando se leva em consideração o acumulado nos últimos 12 meses, no Brasil, a taxa ficou zerada. Enquanto isso, no mesmo período, em Pernambuco, a produção industrial cresceu 3,9%.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.