Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Notícia de Economia

medida

Governo pretende anunciar corte de 25 mil cargos na cerimônia de 300 dias

Publicado em: 18/07/2019 21:15

Wilson Dias/Agência Brasil
A administração de Jair Bolsonaro (PSL) quer anunciar o corte de 25 mil cargos comissionados na cerimônia de 300 dias do governo, em mais uma medida para enxugar gastos, afirmou o ministro Onyx Lorenzoni (Casa Civil) na noite desta quinta-feira (18).

Em março, em medida que fazia parte dos 100 dias de governo, Bolsonaro publicou decreto que extinguiu 21 mil cargos, funções comissionadas e gratificações no serviço público federal. A economia estimada foi de R$ 195 milhões.

Na prática, a maior parte dos cargos extintos não gerou demissão de trabalhadores, porque muitas vagas eram uma espécie de adicional pago ao servidor público que passa a exercer determinada função.

"O que estamos trabalhando e que a gente espera que nos 300 dias a gente consiga anunciar é o corte mais 25 mil cargos", afirmou Onyx. Segundo o ministro, haveria cerca de 60 mil em universidades federais e em institutos federais. 

"A gente não pode esquecer que o Partido dos Trabalhadores aparelhou convenientemente principalmente os IFs, onde o que menos importa é a qualidade e o que mais importa são as ações políticas. Ou vocês acham que as ações políticas vêm de onde mesmo?", criticou.

O ministro elogiou ainda o Future-se, programa do MEC (Ministério da Educação) que incentiva a captação de recursos privados para as universidades federais.

Entre as medidas, estão a constituição de fundo imobiliário para vender imóveis ociosos que façam parte do patrimônio da União, a participação de Organizações Sociais na gestão de gastos do dia a dia e o aumento da captação de recursos do setor privado para financiar projetos.

"O 'Future-se', do MEC, é justamente para poder dar condições de uma nova realidade nas IFs e nas universidades brasileiras, dando condições para que possam se financiar, e é opcional", disse. "A IF e a universidade vão entrar no programa se quiser. Se quiserem ficar no orçamento público, não tem problema nenhum, mas o orçamento público será seguramente muito limitado." 
 
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Maria, mãe de um povo ferido
Confira a estreia do programa In set
Educação humanizadora e não violência nas escolas
João e os 50 anos de colunismo social
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco