Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Economia

caminhoneiros

Alvo de protesto de caminhoneiros, nova tabela do frete será suspensa, diz ministro

Publicado em: 22/07/2019 10:14 | Atualizado em: 22/07/2019 10:21

Nesta segunda-feira (22), caminhoneiros realizaram protesto na BR-101, em Jaboatão dos Guararapes, no Grande Recife. (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil) (Nesta segunda-feira (22), caminhoneiros realizaram protesto na BR-101, em Jaboatão dos Guararapes, no Grande Recife. (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil))
Nesta segunda-feira (22), caminhoneiros realizaram protesto na BR-101, em Jaboatão dos Guararapes, no Grande Recife. (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil) (Nesta segunda-feira (22), caminhoneiros realizaram protesto na BR-101, em Jaboatão dos Guararapes, no Grande Recife. (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil))
O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, afirmou, nesta segunda-feira (22), que será suspensa a resolução da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) com as regras para cálculo do piso do frete rodoviário. 

De acordo com o ministro, em declaração ao portal G1, será aberta uma nova rodada de negociação com os caminhoneiros. Há uma reunião prevista para a quarta-feira (24). 

As novas regras para o cálculo do frete mínimo geraram críticas de caminhoneiros. Nesta segunda-feira (22), caminhoneiros realizaram protestos na BR-101, em Jaboatão dos Guararapes, no Grande Recife, contra a tabela de fretes. O ato aconteceu nas proximidades da fábrica da Vitarella.

A resolução suspensa do frete foi publicada pela ANTT na última quinta-feira (18), após passar por consulta pública e entrou em vigor no sábado (20). A nova tabela foi criada em conjunto com o Grupo de Pesquisa e Extensão em Logística Agroindustrial, ligado à Universidade de São Paulo (USP). 

Mudanças

A nova resolução prevê que 11 categorias de cargas serão usadas no cálculo do frete mínimo e amplia os itens considerados no cálculo. Além da distância percorrida, o cálculo do frete mínimo também considera os seguintes critérios: tempo de carga e descarga do caminhão, custo com depreciação do veículo, remuneração do caminhoneiro, impostos, entre outros. 

A tabela de fretes foi criada em 2018 pelo governo Michel Temer, após a greve dos caminhoneiros. A paralisação do ano passado bloqueou estradas e comprometeu os abastecimentos de combustível, medicamentos e alimentos em todo o Brasil. A criação de um frete mínimo era uma das reivindicações da categoria. 

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Manhã na Clube: entrevistas com Teresa Leitão (PT), Fernandes Arteiro e José Teles
CPI da Pandemia recomenda indiciamento de Bolsonaro
Manhã na Clube: entrevistas com Sileno Guedes e com a nutricionista Joyce Alencastro
CPI da Pandemia chega ao final com homenagens às vítimas da Covid
Grupo Diario de Pernambuco