Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Notícia de Economia

pernambuco

Investimento de R$ 3,5 bilhões em energia limpa em Pernambuco

Publicado em: 25/04/2019 08:39 | Atualizado em: 25/04/2019 08:54

Governador Paulo Câmara fechou acordo ontem com sócios da Solatio Energia. Foto: Helia Scheppa/SEI
Pernambuco irá sediar o complexo solar fotovoltaico, considerado o maior do país. O investimento será de R$ 3,5 bilhões e deverá gerar, apenas no período de construção, cerca de mil postos de trabalho diretos. O acordo para o empreendimento ficar no estado foi selado pelo governador Paulo Câmara e o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Bruno Schwambach, durante reunião realizada ontem com o presidente da Solatio Energia, Pedro Vaquer Brunet, e Elvira Damau, sócia da empresa, responsável pelo aporte financeiro do complexo.

Localizado em São José do Belmonte (distante 474 km do Recife), o complexo fotovoltaico terá sete usinas, com capacidade instalada para gerar 1.100 Megawatts (MW) e perspectiva de entrar em operação comercial no início de 2021, com plena operação em 2022. O parque da Solatio foi projetado para ser o maior em território nacional e uma das principais referências no mundo. As obras serão iniciadas no primeiro bimestre de 2021, e a expectativa da empresa é contratar 400 trabalhadores somente nas proximidades do empreendimento.

“É um investimento que dialoga com o que a gente quer, que é a energia limpa. Um investimento importante em um momento difícil, quando ninguém está investindo, e a Solatio está vindo a Pernambuco, gerando emprego e renda. Nós estamos sempre dialogando com empresas e investidores, que têm a certeza de que o nosso estado os ajudará a avançar em seus projetos”, destacou o governador Paulo Câmara.

Já Schwambach ressaltou que o estado está preparado para receber o empreendimento por conta dos investimentos de infraestrutura que estão sendo realizados. “Temos buscado ativamente os empreendedores, seja para participar dos leilões ou implantar projetos mirando o mercado livre. Dentro do nosso programa de energia, é preciso destacar o Atlas Eólico e Solar, um mapeamento feito especificamente ao investidor, que mostra o potencial de Pernambuco para geração de energia através de fontes renováveis. Fora isso, o governo estadual tem incentivado a geração distribuída com o PE Solar”, observou o secretário.
De acordo com informações do governo de Pernambuco, o conjunto de investimentos previstos, a ser distribuído numa área de 2.270 hectares, está em sintonia com o plano de longo prazo lançado pelo estado, ainda em 2013, quando promoveu o primeiro leilão de energia solar do país, precedendo, inclusive, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). 

A Solatio Energia conta com 20 anos de experiência no setor fotovoltaico e, atualmente, trabalha com projetos que representam investimentos da ordem de R$ 16 bilhões no Brasil. A empresa atua no país desde 2009 e hoje executa projetos solares na América Latina. Até agora foram 6,6 GW produzido, totalizando 14.591.302 MWh em energia gerada. No final de 2017, a empresa foi vencedora de dois dos cinco projetos de usinas solares anunciados para Pernambuco dentro do leilão de energia A-4, realizado pela Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE). “Dos 1,1 mil megawatts-pico, 80 mwp correspondem ao leilão que vencemos em dezembro de 2017, com previsão de entrarmos em operação em janeiro de 2021. Os restantes são fruto de um contrato no mercado livre”, disse o presidente da empresa, Pedro Vaquer Brunet.
 
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
De 1 a 5: artistas que trabalham com barro
Sobe, Lia, sobe.
João Alberto entrevista Larissa Lins
Como se preparar para as provas do SSA 3 da UPE
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco