Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Ciência e Saúde

PANDEMIA

Expressão ''dor nas costas'' bate recorde de buscas no Google

Publicado em: 12/05/2020 13:48

 (Foto: Spencer Platt/Getty Images/AFP)
Foto: Spencer Platt/Getty Images/AFP
A expressão "dor nas costas" nunca foi tão pesquisada como nos últimos meses no Brasil. Desde o dia 26 de fevereiro, quando o país registrou o primeiro caso de contaminação por Covid-19, a busca pelo termo cresceu 76%. O pico foi no dia 26 de abril, de acordo com o Google Trends, o serviço de análise de tendências do buscador.

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), dor nas costas é o problema de saúde mais comum entre os brasileiros e atinge mais de 16% da população ativa. No entanto, a alta nas buscas relacionadas a este mal  pode estar ligada à pandemia do novo coronavírus. A expressão "covid - dor nas costas", por exemplo, é o termo relacionado que mais cresceu entre fevereiro e maio deste ano. 

Os estados que mais pesquisam sobre o assunto são o Ceará, Alagoas, Maranhão, Rio de Janeiro e São Paulo. Apesar de as buscas pelo termo também terem crescido no Distrito Federal, no ranking geral, o DF aparece apenas em 25º lugar, entre as 27 unidades da federação.

Home office e aulas online

Oficialmente, dor nas costas não é um sintoma da Covid-19, mas a pandemia do novo coronavírus mudou a rotina de muita gente, já que o distanciamento social é tido pelos especialistas como a melhor forma de evitar o contágio em massa e preservar o sistema de saúde. As medidas mais duras de isolamento, exigiram que as empresas se adaptassem à realidade e colocassem parte de seus colaboradores em home office.

De acordo com uma pesquisa da consultoria Betania Tanure Associados (BTA), divulgada em abril, 43% das empresas do Brasil estão com seus funcionários trabalhando em casa, pelo menos durante a fase da pandemia do coronavírus. Das 359 empresas entrevistadas, 60% delas adotaram o teletrabalho. 

Quem estava acostumado com o ambiente confortável do escritório, rapidamente teve que improvisar um lugar para trabalhar em casa. A maioria foi para a mesa de jantar da sala ou da cozinha, ou adaptou algum outro cômodo para desenvolver suas atividades profissionais. 

A professora-doutora em fisioterapia, Christina Cepeda, explica que, em um primeiro momento, usar o computador na mesa de jantar, no sofá ou na cama pode até parecer confortável, mas, ao longo do dia, além de ser prejudicial à saúde, também pode reduzir a produtividade. “Posturas inadequadas diminuem a concentração e podem causar dores e/ou até lesões no futuro", alerta. Ela dá algumas dicas simples de se fazer em casa, como ajustar a altura da cadeira com uma almofada e ajustar a iluminação do ambiente, por exemplo.

"Deve-se deixar, no mínimo, 20 cm entre a mesa e o assento da cadeira. Pessoas de baixa estatura precisam, ainda, providenciar um apoio para os pés. A altura do monitor deve ser ajustada de forma que a porção superior da tela permaneça na altura da linha visual, possibilitando uma boa visão sem a necessidade de projetar o pescoço para frente", aconselha.

Para quem já está sentindo dor ou com tensão nos músculos, Christina indica colocar uma bolsa de água quente enrolada em uma toalha na região cervical (parte posterior do pescoço) ou na região lombar (parte inferior da coluna vertebral), por até no máximo 20 minutos. "O calor auxilia na melhora da circulação local e no relaxamento dos músculos, aliviando a dor", ensina. Porém, adverte que a utilização da bolsa de água quente é contra indicada para pessoas que apresentem qualquer tipo de alteração de sensibilidade na região da aplicação.

Confira cinco dicas para evitar a dor nas costas:

1 - Ajuste o local de trabalho: acomode a altura do monitor de forma que não preciso projetar o pescoço para frente. A distância da tela deve ser de 40 a 70 cm, já sentado.

2 - Atenção à postura: mantenha costas retas, antebraços apoiados, coxas em 90 graus em relação ao tronco, joelhos e pés também a 90 graus, assim como o ângulo entre o pescoço e o queixo. Apoie os pés e nunca os deixe estendidos para frente.

3 - Prepare o corpo: Acorde seus músculos com alongamentos leves.

4 - Dê uma pausa: Faça uma pausa de cinco minutos a cada 40. 

5 - Movimente-se: atividades como alongamentos, abdominais, prancha, mini-agachamento e flexões são as melhores maneiras de preservar a coluna para ter uma boa estrutura muscular.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Enem para todos com professor Fernandinho Beltrão
De 1 a 5: entenda as diferenças entre os tipos de exames para a Covid-19
Bolsonaro convida Temer para missão no Líbano
Rhaldney Santos entrevista o pré-candidato à prefeitura de Jaboatão Adelson Veras
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco