DISTRITO FEDERAL

Operação cumpre mandado de busca e apreensão na residência de oficial da PMDF

Publicado em: 05/01/2022 11:04

 (Foto: PCDF/Divulgação)
Foto: PCDF/Divulgação
Policiais civis da Delegacia de Repressão à Corrupção (DRCOR) vinculada ao Departamento de Combate à Corrupção e ao Crime Organizado (Decor) deflagraram, na manhã desta quarta-feira (5/1), a operação Blackmail com o intuito de apurar uma informação sobre extorsão de empresários.

De acordo com a PCDF um grupo de indivíduos estaria envolvido na extorsão de empresários credenciados pelo Departamento de Trânsito do Distrito Federal (Detran-DF) para a realização de serviços de vistorias veiculares. O cumprimento do mandado de busca e apreensão foi feito na residência de um dos supostos envolvidos, um policial militar do DF, da ativa, no Jardim Botânico.

Atuação
No DF os serviços de vistorias veiculares foram terceirizados, passando a ser exercidos por empresas credenciadas pelo Detran, e isso teria desagradado parte dos atores envolvidos anteriormente.

Até o momento, de acordo com as provas colhidas, o oficial da Polícia Militar do DF teria exigido o valor de R$ 3 milhões das vítimas, que teriam sido ameaçadas com a divulgação de documentos que, supostamente, revelariam irregularidades praticadas pelos empresários no processo de credenciamento junto ao Detran.

De acordo com a PCDF, o policial seria o “porta-voz” de um grupo de pessoas que teriam sido prejudicadas com a terceirização das vistorias, sendo que o valor exigido seria dividido entre elas e serviria para amenizar os prejuízos suportados pela alteração na prestação dos serviços. Porém, não há comprovação da quantia que foi paga.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
MAIS NOTÍCIAS DO CANAL

Porto Alegre sanciona lei para serviço de loteria municipal

19/08/2022 às 13h20

Rio restabelece parte dos serviços atingidos por ataque hacker

19/08/2022 às 12h12

Prorrogada presença da Força Nacional em terra indígena no RS

19/08/2022 às 09h15

Vale prevê mais 13 anos para eliminar barragens como Brumadinho

19/08/2022 às 08h12

Ex-vereador Gabriel Monteiro tem mandato cassado

18/08/2022 às 22h58

Confira os resultados da Lotofácil 2602 e da Timemania 1823 desta quinta-feira

18/08/2022 às 21h52

Anvisa discute liberação da vacina infantil para seis meses a quatro anos

18/08/2022 às 19h31

Brasil é o 5º país com mais casos da varíola do macaco

18/08/2022 às 19h24

Colisão mata sete pessoas em Piracanjuba, entre elas duas crianças

18/08/2022 às 14h40

STF decide que profissionais de saúde vítimas da Covid devem ser reparados

18/08/2022 às 14h35

Menino de 2 anos entra em máquina de pegar pelúcias no Rio

18/08/2022 às 13h20

Sorvetes Häagen-Dazs são recolhidos por suspeita de substância tóxica

18/08/2022 às 12h48

Celular explode enquanto criança assistia a vídeo no Ceará

18/08/2022 às 12h34

Quatro pessoas são presas com uma tonelada de cabos de cobre

18/08/2022 às 10h44

Fontes renováveis na matriz energética devem aumentar em 2022, diz MME

18/08/2022 às 10h02

Sérvia e Kosovo mantêm diálogo sob a égide da UE

18/08/2022 às 09h48

Serviços no Rio ainda não foram normalizados após ataque de hacker

18/08/2022 às 09h36

Termina nesta quinta-feira prazo para pedir voto em trânsito

18/08/2022 às 09h05