Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Brasil

EDUCAÇÃO

Ministro da Educação diz que Inep estava muito 'independente'

Publicado em: 31/03/2021 16:08

 ("Eles estavam querendo ser protagonistas de políticas públicas de educação no Brasil. Não é assim que funciona. Não comigo. Eu quero participar da gestão", afirmou Milton Ribeiro nesta quarta-feira (31/3), na Câmara dos Deputados. Foto: Isác Nóbrega / Agência Brasil)
"Eles estavam querendo ser protagonistas de políticas públicas de educação no Brasil. Não é assim que funciona. Não comigo. Eu quero participar da gestão", afirmou Milton Ribeiro nesta quarta-feira (31/3), na Câmara dos Deputados. Foto: Isác Nóbrega / Agência Brasil
Em audiência na Câmara dos Deputados, o ministro da Educação, Milton Ribeiro, afirmou, nesta quarta-feira (31), que o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), responsável por organizar o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), estava “tendo uma independência” para além daquela que uma autarquia deve ter. Segundo ele, o órgão estava “querendo ser protagonista das políticas públicas de Educação no Brasil”. “Não é assim que acontece. Não comigo”, afirmou.

No mês passado, o ministro demitiu o ex-presidente do Inep Alexandre Lopes, nomeando para seu lugar Danilo Dupas Ribeiro, ex-secretário de Regulação e Supervisão do Ensino Superior do MEC. Neste mês, houve outra mudança no Inep, quando o governo nomeou para a Diretoria de Avaliação da Educação Básica, diretamente responsável pelo Enem, o coronel aviador Alexandre Gomes da Silva.

Ribeiro afirmou que, assim que assumiu o MEC, não fez mudanças gerais e irrestritas em todas as presidências de órgãos vinculados, dizendo que, antes, se procurou compreender o papel de cada um na formulação e no apoio das políticas do MEC.

“O que não abro mão é de ser o formulador de políticas públicas, que no fundo sou eu, que depois respondo por elas. (As políticas) Têm que nascer aqui, no MEC. As instituições vinculadas, embora autarquias, que tenham a sua independência, elas são assessoras das políticas que nascem no gabinete. Isso não quer dizer que uma política não pode ser gestada na mente de algum líder de uma das vinculadas, e vir ao ministro e à sua equipe”, afirmou.

As afirmações de Ribeiro fazem alusão a um questionamento da deputada Tabata Amaral (PDT-SP), que afirmou que os estudos do novo Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) foram para uma ala mais ideológica do que política do Inep, chamando o movimento de “esvaziamento” da instituição.

O ministro, ao falar que observa um Inep com uma independência além da necessária, disse que quer participar da gestão, dos assuntos sobre o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Básica (Saeb). “Se existe alguém mais interessado em ter bons resultados dos alunos em todos esses testes sou eu. Eu quero participar, quero opinar, e é isso que eu fiz. Eu trouxe um pouco para perto para que pudéssemos avaliar”, afirmou.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
A Justiça está realmente cuidando das crianças no centro de disputas familiares?
Cacique Raoni pede ao presidente dos EUA que ignore Jair Bolsonaro
Manhã na Clube com Rhaldney Santos - 16/04
Carta aberta pede quebra de patentes de vacinas de Covid-19
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco