Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Brasil

CORONAVÍRUS

Dono do Madero se diz triste com repercussão negativa de vídeo

Publicado em: 24/03/2020 18:01

O empresário Junior Durski, dono da rede de restaurantes Madero (Foto: Divulgação)
O empresário Junior Durski, dono da rede de restaurantes Madero (Foto: Divulgação)
O empresário Junior Durski, dono da rede de restaurantes Madero, disse que "estranhou" a má repercussão do vídeo onde ele declarou que o Brasil não pode parar em decorrência da pandemia do coronavírus, mesmo que a doença cause “5 ou 7 mil mortes”. “Estranhei com a repercussão porque toda a ideia é muito deturpada. As pessoas têm a interpretação que bem entendem. Triste”, declarou ao site Paraná Portal nesta terça-feira (24).

A pandemia da Covid-19 já deixou 46 mortos e registra mais de 2.200 casos, até o momento, somente no Brasil. No mundo a doença já fez mais de milhares de vítimas fatais, principalmente nos países europeus como a Itália, França e Espanha, além da China, marco zero do coronavírus. 

Em sua conta no Instagram, o empresário divulgou um vídeo esclarecendo suas opiniões acerca das recomendações do Ministério da Saúde e da Organização Mundial da Saúde (OMS) para evitar a propagação da Covid-19 e rebateu as críticas de que não estaria preocupado com o número de óbitos no Brasil."Eu me preocupo muito com cada uma das pessoas que vão morrer, que já estão morrendo com coronavírus. Eu não tenho dúvida nenhuma de que não podedemos deixar ninguém pra trás, temos que cuidar de todo mundo, mas não pode ser desproporcional essas medidas pra contenção do coronavírus". 

O dono do Madero afirma que o fechamento do comércio também pode trazer consequências negativas para a vida das pessoas. “Vamos ter uma consequência de centenas de milhares que vão morrer nos próximos três anos por causa da grave econômica”, ressalta Durski. Ele acredita que o país pode chegar a ter 40 milhões de desempregados ao chegar no caos econômico. “Não pode simplesmente fechar tudo, as empresas e o profissional liberal vão quebrar. 6% da população tem poupança, mas 94% não tem. Não podemos comparar o Brasil com Europa e Estados Unidos”, diz o empresário.

Ainda no vídeo, Durski cita que mais de 57 mil pessoas foram assassinadas e mais de 5 mil pessoas faleceram por desnutrição no Brasil em 2018, afirmando que há uma falta de atenção a esses outros dados de óbitos no país. “Isso ninguém fala nada. Não é possível que alguém pense que eu vá falar que não me importo que morram. Claro que me importa, cada uma pessoa importa. Sou totalmente favorável a fazer o máximo possível a fazer para minimizar o número de mortos, desde que o remédio não seja pior que a doença”, completou.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Itália proíbe entrada de viajantes brasileiros
10/07 Manhã na Clube com Rhaldney Santos
Burro invasor de lives faz santuário de animais arrecadar dinheiro
Seminário discute novo marco legal do saneamento básico
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco