ataque Vizinho mata menino de 10 anos e os pais da criança, no sul de Minas

Por: Aissa Mac - Estado de Minas

Publicado em: 04/10/2019 16:24 Atualizado em:

Foto: Reprodução/TV Alterosa
Foto: Reprodução/TV Alterosa
Quatro pessoas morreram depois de um ataque a tiros no Bairro Parque dos Municípios, em Guaxupé, no Sul de Minas. Segundo a Polícia Militar, Paulo Roberto da Silva, de 52 anos, atirou contra o carro de uma família e se matou em seguida. 

No veículo estavam o eletricista Emerson Donizete Ferreira, de 48 anos, a mulher dele, Eliete Diniz Pereira, 43, e o filho do casal, Felipe de Oliveira, de 10 anos. O eletricista morreu na hora. A mulher foi atingida por um disparo na cabeça e a criança foi baleada no coração. Os dois foram levados para a Santa Casa da cidade, mas morreram no hospital. 

Vizinhos acionaram a polícia depois que ouviram diversos disparos. Há relatos de que Paulo esperou por horas a chegada da família à casa dela, e, assim que o carro parou, ele começou a atirar. Os vizinhos também contam que a família era tranquila e trabalhadora. Já Paulo, autor dos disparos, foi descrito homem muito fechado, que não conversava com ninguém da rua.
 
Gabriel, filho do casal, estava no 5° ano da Escola Municipal Elias José. Ainda em choque, Maria de Souza, funcionária da unidade, contou como era a personalidade do garoto:  "Vi o Gabriel crescer, ele tá na escola desde o primeiro ano. Era um aluno exemplar. Ele era excelente em redação, menino pra cima, alegre. Ontem mesmo estava brincando e agora essa tragédia. Estamos abalados".

Na escola de Gabriel, não houve aula no turno da manhã. A Prefeitura de Guaxupé decretou luto oficial de três dias. 

Deise Pereira, prima de Eliete, não se conforma com a perda na família: "Estamos muito abalados. Eliete era muito tranquila, boa mãe, boa esposa, trabalhava muito, era uma família boa. Ninguém sabe o que aconteceu. Uma tragédia. Não estamos acreditando nisso. Já vi tragédia pela televisão, em cidade grande, mas nunca imaginei que isso fosse acontecer na nossa família”, lamentou.

Paulo usou no triplo homicídio e no suicídio duas armas de fogo. Dentro da casa onde ele morava, uma outra arma foi encontrada. Ainda não se sabe a motivação do crime. A Polícia Civil abriu um inquérito para apurar o caso.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.