Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Brasil

Crime em Supermercado

Preso segundo suspeito de torturar adolescente em supermercado de SP

Por: FolhaPress

Publicado em: 07/09/2019 19:30

Crime aconteceu em depósito de supermercado - Reprodução
A Polícia Civil prendeu, neste sábado (7), o segundo suspeito de torturar um adolescente em um supermercado na zona sul da capital paulista. Waldir Bispo dos Santos, 49 anos, se apresentou na Deatur (Delegacia de Apoio ao Turista), o 2ª DP do aeroporto de Congonhas (zona sul), e foi encaminhado ao 80º DP, na Vila Joaniza, onde a investigação corre em segredo de Justiça. A agressão foi no mês passado, quando o garoto teria furtado chocolates.

Santos é o segundo segurança preso por envolvimento no caso. O primeiro, Davi de Oliveira Fernandes, foi detido nesta sexta-feira (6). Os suspeitos eram seguranças do supermercados Ricoy. O chicote, que teria sido feito de fios entrelaçados de energia, cortou as costas da vítima e deixou marcas. Um vídeo de 40 segundos mostrou as agressões.

No vídeo, o adolescente é chicoteado nas costas e se contorce de dor a cada novo golpe recebido. O vídeo da sessão de tortura acabou nas redes sociais e forçou a polícia a abrir um inquérito na segunda-feira (2).

Segundo o delegado Pedro Luís de Sousa, do 80° DP,  responsável pelo caso, o segurança preso neste sábado tem histórico de lesão corporal contra mulher. O outro, por apropriação indébita. 

Na quarta-feira (4), o delegado afirmou acreditar que o caso não foi isolado -há mais duas investigações de possíveis torturas, uma delas contra um menino: "Acho que o chicote foi usado outras vezes [dentro do supermercado], já que pequenos furtos são corriqueiros no local".

O titular do 80° DP afirmou ainda que o crime de tortura, em que os dois seguranças são acusados, é inafiançável, imprescritível e não pode nem ser perdoado mediante indulto oferecido pela Presidência da República.

Respostas
Em nota enviada no início da semana, a KRP Valente Zeladoria Patrimonial, que fazia a segurança do supermercado, lamentou os "horríveis fatos" atribuídos aos dois seguranças. "Ambos já foram desligados da empresa", afirmou.

O grupo Ricoy contratou uma assessoria para mediar a crise na imagem do negócio, que possui 50 lojas espalhadas pelos extremos das zonas sul e leste da capital paulista. A rede classificou de falsa e descabida a afirmação de que usa métodos escusos para tratar de casos de furto em suas lojas.

"O grupo jamais estimulou a violência, a discriminação, a coação, o constrangimento ou a força desmedida e desnecessária. Qualquer um desses métodos são inaceitáveis nesta ou em qualquer época", afirmou em nota.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Enem para todos com professor Fernandinho Beltrão #Aulão: tudo sobre botânica
Rhaldney Santos entrevista a oftalmologista Larissa Ventura
Enem para todos com professor Fernandinho Beltrão #259 O que é uma planta?
Rhaldney Santos entrevista o desembargador do TJPE Erik Simões
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco