Latrocínio Polícia Civil prende terceiro acusado de matar o padre Casemiro

Por: Estado de Minas

Publicado em: 25/09/2019 21:26 Atualizado em:

Daniel da Cruz foi preso no Novo Gama, segundo informou o delegado Danillo Martins, de Goiás - Foto: Divulgação/Polícia Civil de Goiás.
Daniel da Cruz foi preso no Novo Gama, segundo informou o delegado Danillo Martins, de Goiás - Foto: Divulgação/Polícia Civil de Goiás.
Daniel Souza da Cruz, 29 anos, o homem apontado pela Polícia Civil do DF como o terceiro envolvido no assassinato do padre Casemiro, foi preso na tarde desta quarta-feira (25/9), no Novo Gama, informou o delegado Danillo Martins, responsável pela operação. A prisão foi resultado de uma ação conjunta da delegacia da cidade do Entorno com a 2ª Delegacia de Polícia (Asa Norte) do DF.

A prisão do suspeito já foi comunicada aos agentes da 2ª DP, que estão indo para a cidade goiana buscar o preso. A informação foi confirmada pelo chefe da Divisão de Comunicação da Polícia Civil (PCDF), Darbas Coutinho.

Segundo informações da Polícia Civil de Goiás, Daniel foi encontrado por volta das 15h. Ele estava escondido na casa de um tia, no Residencial Santa Luzia, no município goiano. A foto dele havia sido divulgada na manhã desta quinta-feira (25) pela polícia do DF.

De acordo com Danillo Martins, o suspeito foi encontrado após investigações iniciadas ainda na noite de terça-feira (24). %u201CCom a prisão do Alessandro (de Anchieta Silva) e Antônio (Willyan Almeida Santos), fizemos uma série de diligências em Valparaíso, onde ele morava. Assim, conseguimos a informação que ele tinha familiares no Novo Gama e que estava na casa da tia%u201D, detalha.

%u201CNós cercamos a residência e, quando Daniel viu que não tinha saída, decidiu se entregar. O depoimento formal dele será coletado pela Polícia Civil do Distrito Federal, mas em conversa informal, ele nega qualquer envolvimento%u201D, acrescenta o delegado de Novo Gama.

Daniel é primo de Antônio e amigo de Alessandro. Ele disse aos agentes de Goiás que decidiu fugir de Valparaíso na terça-feira (24/9), ao ver a prisão da dupla. %u201CEle relatou que o primo e o colega cometeram sim, o crime. Ele também afirmou que Alessandro e Antônio tinham o objetivo de fugir de Brasília, mas que acabaram presos antes. Por isso decidiu se esconder também. Mas diz que não foi por ter participado do latrocínio%u201D, afirma Martins.

Daniel já tem passagens por tentativa de homicídio e lesão corporal. Ele será conduzido à 2ªDP, onde prestará os esclarecimentos formais aos investigadores, ainda nesta quarta-feira (25).

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.