acidente Idosa surda morre atropelada em frente a posto de saúde no DF

Por: Correio Braziliense

Publicado em: 09/09/2019 20:25 Atualizado em:

A mulher chegou a receber atendimento do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), mas não resistiu aos ferimentos e morreu ainda no local do acidente. Foto: Reprodução/Google Maps (Foto: Reprodução/Google Maps)
A mulher chegou a receber atendimento do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), mas não resistiu aos ferimentos e morreu ainda no local do acidente. Foto: Reprodução/Google Maps
Uma mulher de 67 anos morreu atropelada em frente a um posto de saúde na Quadra 12, do Setor Oeste do Gama, no Distrito Federal, na manhã desta segunda-feira (9). Lezir Maria da Silva era surda. Segundo informações preliminares da Polícia Militar, a vítima havia acabado de sair de uma consulta, quando foi atingida por uma Mitsubishi L200 ao atravessar a pista. 

A mulher chegou a receber atendimento do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), mas não resistiu aos ferimentos e morreu onde aconteceu o acidente. A perícia da Polícia Civil foi acionada.
 
O motorista do veículo, tem 21 anos. Ele passou pelo teste do bafômetro e o resultado deu negativo para a ingestão de álcool. De acordo com o delegado coordenador de plantão da 20ª Delegacia de Polícia (Gama), Vander Braga, o jovem se apresentou espontaneamente.
 
"Ele disse que estava na via quando a senhora atravessou. Ele e outras testemunhas contaram que tentaram alertá-la com gritos, mas ela não viu e foi atingida. O condutor disse ainda que tentou desviar para a outra faixa, mas como vinha um carro ele precisou jogar o dele para a calçada e acabou acertando a vítima pelo lado esquerdo", explicou o delegado.
 
Ao Correio, o irmão da vítima, Avimacir Antônio da Silva, 54, contou que ela nasceu surda e que era acostumada a sair sozinha. "Ela estudava aqui no Plano Piloto e pegava ônibus. Era muito inteligente, gostava de costurar, de fazer bordados. Vendia os panos de prato que fazia. Era desenvolvida igual uma pessoa comum. Às vezes tinha dificuldades, mas tudo bem", disse. 
 
Para Avimacir, o acidente foi "brutal" e acredita que o condutor do veículo estava em alta velocidade. "Devido o impacto da batida, arrastou ela por uns 30 metros. Ela nem chegou a entrar na pista, mas quando foi descendo da calçada o motorista pegou ela", contou. De acordo com o irmão de Lezir, falta sinalização na via. "Aquela área não é de alta velocidade, afinal, é ao lado de um posto de saúde e de um colégio. Falta uma faixa, por exemplo", ressaltou.
 
Testemunhas 
O delegado ressaltou que as demais testemunhas serão ouvidas nos próximos dias. "Várias pessoas presenciaram o acidente, mas não puderam vir hoje à delegacia. Uma disse que viria, mas depois não pôde mais. Mas todos serão ouvidos", afirmou Vander.
 
A princípio, o caso está sendo tratado como acidente de trânsito com vítima. A Polícia Civil aguardo o laudo da perícia, que deve sair em 30 dias. "Ele vai confirmar se houve dolo ou culpa do condutor do carro", disse o delegado.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.