Documentos Em Londres, zagueiro Neto e viúvas das vítimas do acidente da Chapecoense protestam a falta de idenização

Por: Diario de Pernambuco

Publicado em: 30/09/2019 13:01 Atualizado em: 30/09/2019 13:11

Marcel Camilo/Divulgação
Marcel Camilo/Divulgação


O sobrevivente zagueiro Neto e as viúvas de quatro jogadores da tragédia aérea da Chapecoense se reuniram nesta segunda-feira (30) em frente às sedes da seguradora Tokio Marine Kiln e da corretora de seguros Aon, em Londres, para protestar pela falta de indenização pela queda do avião, em novembro de 2016, que vitimou 71 pessoas.

Segundo advogados, os familiares colheram documentos após encontrarem uma cadeia de fatores que culminou com a fatídica queda de avião e, por isso, tentam na justiça serem indenizados. 

No ato, as viúvas de Gil, Filipe Machado, Thiego e Bruno Rangel, além do presidente da Abravic (Associação Brasileira da Vítimas do Acidente com a Chapecoense) e três advogados levaram faixas e vestiram camisas alusivas à tragédia.

"Essa ajuda simplesmente exclui cinco ou mais empresas responsáveis nessa sucessão de erros para que o acidente viesse a acontecer. É uma falsa ajuda, muito abaixo do valor da apólice. Estamos em busca da verdade e reparações – completou Val Paiva, viúva de Gil.

A manifestação tem como objetivo mostrar para o mundo a injustiça e a incerteza no pagamento das indenizações.

Ato em Chapecó 
No domingo (29), parentes das vítimas realizaram um ato em frente à Arena Condá, para reforçar o protesto em Londres. A manifestação em Chapecó foi realizada no Átrio Davi Barella Dávi e contou com a presença do jogador Jackson Follmann, outro sobrevivente da tragédia aérea.

Luana Polli/Chapecoense
Luana Polli/Chapecoense


Vestidos de branco, eles soltaram balões de mesma cor, falaram a frase "verdades e reparações" e bateram palmas para encerrar. O ato contou ainda com torcedores e membros da Chapecoense.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.