#DesculpaGreta Brasileiros se desculpam com a ativista Greta Thunberg após fake news

Por: Estado de Minas

Publicado em: 27/09/2019 09:18 Atualizado em: 27/09/2019 09:36

Divulgação/AFP Photo
Divulgação/AFP Photo
Durante a transmissão do programa “96 Minutos”, da rádio 96FM de Natal, o radialista Gustavo Negreiros, fez várias críticas e comentários misóginos sobre a ativista Greta Thunberg, de 16 anos. De acordo com ele, a garota “está precisando de sexo” e é “mal-amada”.

Na última quarta-feira, Eduardo Bolsonaro chegou a compartilhar uma imagem falsa da menina.

Neste caso, a imagem publicada pelo deputado era uma montagem. Em sua conta no Twitter, ele afirmou que a menina seria patrocinada por George Soros, um filantropo bilionário. “"Vocês roubaram minha infância...", disse a garota financiada pela Open Society, de George Soros", declarou.

Apesar da afirmação, não há nenhuma indicação que isso seja verdade e que a garota receba qualquer tipo de patrocínio do famoso bilionário, por financiar iniciativas liberais por meio da fundação Open Society. No site da fundação, onde são publicados todos os financiamentos, não existe menção à Greta ou à FFF (Fridays For Future), ONG climática internacional que ela representa.Continua depois da publicidade

Após as declarações na rádio, Negreiros acabou sendo demitido. “Estou pagando pelos meus erros”, disse o radialista. Além das declarações consideradas “machistas” pelos ouvintes, Gustavo insinuou que a menina era dependente de drogas. “Vá fumar o seu baseadinho, sua maconha, de volta para a Suécia”, comentou no ar.

#DesculpaGreta
Após grande repercussão, a hastag #DesculpaGreta acabou ficando em primeiro lugar nos trend topics do Twitter. “Simplesmente vergonhoso viver em um país onde adultos de referem garota de 16 anos autista e ativista em defesa do clima que ela é uma mal amada e precisa sexo isso é nojento”, afirmou uma internauta. “Desculpa Greta Thunberg esse não é o pensamento da maioria dos brasileiros”, tuitou o outro.

Quem é Greta
Nacisa em janeiro de 2003, a ativista ficou famosa com o ato de “rebeldia”. A garota matou uma aula por motivações políticas. Em Agosto de 2018, ela se ausentava das aulas para protestar, próxima ao parlamento sueco, exigindo por mais ações para mitigar as mudanças climáticas por parte dos políticos de seu país.

Eventualmente, estudantes de outras comunidades se organizaram para protestos semelhantes ao de Greta. O movimento “Fridays For Future” tomou conheciemnto mundial e Greta foi indicada para o Nobel da Paz.



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.