acolhimento Ao receber ameaças, garoto torturado vai para abrigo público em SP e aguarda proteção

Por: FolhaPress - FolhaPress

Publicado em: 09/09/2019 13:56 Atualizado em:

Foto: Reprodução / Youtube
Foto: Reprodução / Youtube
O garoto de 17 anos torturado por dois seguranças após furtar barras de chocolate de uma unidade do supermercado Ricoy, na zona sul de São Paulo, foi retirado da casa de um de seus seis irmãos e levado para um abrigo da prefeitura.
 
A família do menino alegou que sofreu ameaças e recebeu a visita de pessoas desconhecidas nos últimos dias. Por isso, autorizou a ida do garoto na última sexta-feira (6) para um espaço da rede assistencial para crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade.
 
O Conselho Tutelar de Cidade Ademar (zona sul) também pediu a inclusão do menino no Programa de Proteção a Crianças e Adolescentes Ameaçados de Morte, do governo federal.
 
O programa, criado em 2003, busca proteger crianças ameaçadas de morte e é vinculado ao ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, hoje sob o comando de Damares Alves.
Nesta segunda-feira (9), uma semana depois de o caso vir à tona, o garoto fará o reconhecimento dos seguranças suspeitos de terem praticado a tortura, filmada e divulgada nas redes sociais. Os suspeitos foram presos neste final de semana.
 
Em depoimento à polícia, o menino disse que foi torturado numa manhã do mês de julho. Após ser pego com os chocolates furtados, foi levado pelos suspeitos a um cômodo nos fundos do supermercado usado para guardar mantimentos.
 
No local, foi amarrado, amordaçado, despido e chicoteado numa unidade do supermercado Ricoy, localizada na altura do número 3.884 da avenida Yervat Kissajikian, em Vila Joaniza (zona sul).


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.