Investigação MP oferece denúncia contra dois filhos de Flordelis

Por: Agência Brasil

Publicado em: 16/08/2019 23:00 Atualizado em:

Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil
 (Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil
)
Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil
O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público do estado do Rio de Janeiro, denunciou Flávio dos Santos Rodrigues e Lucas Cezar dos Santos de Souza, filhos da deputada federal Flordelis dos Santos de Souza (PSD-RJ), 58 anos, pelo assassinato do marido da parlamentar, Anderson do Carmo de Souza, de 41 anos.

De acordo com a denúncia, na madrugada do dia 16 de junho, por volta das 3h30, na residência do casal, em Niterói (RJ), Flávio desferiu diversos disparos de arma de fogo contra Anderson, causando a morte do padastro. Ainda segundo o documento,  Lucas atuou como cúmplice do irmão pois, “sabedor da intenção de Flávio, bem como dos motivos e do plano de execução, a tudo aderiu e o ajudou a adquirir a arma utilizada no crime”.

Flávio também foi denunciado por manter, em sua residência, uma pistola calibre 9 milímetros, acompanhada de acessório de mira ótica e carregador, uma arma de uso proibido ou restrito. Além de não possuir autorização para portar a arma de fogo, o número de série da arma estava raspado. Os peritos conseguiram identificá-lo somente em laboratório.

Na denúncia, o Ministério Público pede que Flávio e Lucas sejam condenados por homicídio qualificado, com pena de reclusão prevista de 12 a 30 anos, e Flávio também por posse ou porte ilegal de arma de fogo de uso restrito, com pena prevista de três a seis anos de reclusão.

Primeira fase do inquérito
Há dois dias, a Polícia Civil indiciou Flávio e Lucas pelo assassinato do pastor Anderson. A titular da Delegacia de Homicídios de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí, Bárbara Lomba, pediu a prisão preventiva dos dois, que estão presos desde 20 de junho.

Ao entregar o inquérito ao Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro, a delegada pediu que Flávio e Lucas respondam pelo crime de homicídio qualificado.

A delegada Bárbara Lomba desmembrou as investigações e dará início agora à segunda fase do inquérito, para identificar possíveis coautores do crime.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.