Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Notícia de Brasil

Polêmica

Além de estupro, Neymar agora é investigado por divulgar fotos íntimas

Publicado em: 02/06/2019 15:06 | Atualizado em: 02/06/2019 15:14

Foto: Loic Venance/AFP

A Polícia Civil do Rio de Janeiro está investigando se o atacante Neymar, do Paris Saint Germain (PSG) e da Seleção Brasileira, cometeu o crime de divulgar fotos e vídeos íntimas da garota que o acusou de estupro. Ao se defender da acusação, ele teria publicado um vídeo com a conversa entre os dois em um aplicativo de mensagens. Apesar do jogador tentar esconder, aparecem fotos e vídeos da garota seminua no conteúdo.

Procurada pelo Correio Braziliense, a Polícia Civil carioca informou que a Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI) irá apurar suposta divulgação de vídeo por parte do jogador. Ainda segundo a corporação, a 110° Delegacia de Polícia (Teresópolis) já realizou diligências que vão auxiliar nesta investigação.

Desde setembro do ano passado, divulgação de cena de sexo ou de pornografia, assim como cena de estupro ou de cena de estupro de vulnerável, virou crime previsto no código penal.

De acordo com o artigo 218-C é crime "oferecer, trocar, disponibilizar, transmitir, vender ou expor à venda, distribuir, publicar ou divulgar, por qualquer meio - inclusive por meio de comunicação de massa ou sistema de informática ou telemática -, fotografia, vídeo ou outro registro audiovisual que contenha cena de estupro ou de estupro de vulnerável ou que faça apologia ou induza a sua prática, ou, sem o consentimento da vítima, cena de sexo, nudez ou pornografia". A pena é de reclusão de um a cinco anos.

Acusação de estupro
Uma brasileira, que tem o nome protegido pelo caso está em segredo de justiça, registrou um boletim de ocorrência de estupro contra Neymar, na última sexta-feira (31), na 6ª Delegacia da Mulher, em São Paulo. Segundo ela, o crime ocorreu em Paris no último dia 15.

Horas seguinte à acusação, o atacante publicou um vídeo nas redes sociais se defendendo e afirmando que estava sendo vítima de extorsão. O craque também disse que foi pego de surpresa com a notícia. "Muito ruim e muito triste escutar isso. Quem me conhece, sabe do meu caráter e da minha índole e sabe que eu jamais faria isso", disse. 

Tanto o pai de Neymar como os representantes do jogador, que negaram categoricamente qualquer delito, afirmaram que irão acionar as autoridades.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Maria, mãe de um povo ferido
Confira a estreia do programa In set
Educação humanizadora e não violência nas escolas
João e os 50 anos de colunismo social
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco