Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Brasil

rebelião em manaus

Polícia Federal vai investigar massacre em presídios de Manaus

Publicado em: 30/05/2019 08:12

Familiares de presos assassinados na capital amazonense protestaram contra a demora na liberação dos corpos. Foto: Sandro Pereira/AFP
O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, determinou que a Polícia Federal investigue os massacres que deixaram um saldo de 55 presos mortos em presídios de Manaus, entre domingo e segunda-feira. A medida foi tomada no mesmo dia em que a Força-Tarefa de Intervenção Penitenciária enviada pelo governo federal ao Amazonas começou a atuar no interior das quatro unidades onde ocorreram os assassinatos: Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), Instituto Penal Antônio Trindade (Ipat), Unidade Prisional do Puraquequara (UPP) e Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM 1). O objetivo é restabelecer a normalidade nas prisões.

Nota divulgada pelo ministério informa que o inquérito da PF ocorrerá sem prejuízo das investigações da polícia amazonense. Nesta quarta-feira (29/5), a TV Globo informou que, quatro dias antes da chacina, um relatório da Secretaria de Administração Penitenciária do Amazonas apontava para o risco de mortes dentro de presídios, mencionando que 20 presos estariam marcados para morrer.

Segundo a nota do Ministério da Justiça, os crimes representam grave violação dos direitos humanos e, além disso, a União tem interesse na repressão de organizações criminosas que atuem em mais de um estado da Federação. De acordo com a polícia do Amazonas, há indícios de que a facção Família do Norte (FDN) tenha ordenado os assassinatos. Os agentes investigam se a motivação dos assassinatos estaria atrelada a uma disputa entre integrantes da FDN pelo comando da organização, ou a uma briga com o Comando Vermelho, do Rio de Janeiro, pelo controle de pontos de venda de drogas.

A Justiça informou que, a pedido do governo do Amazonas, um total de 26 presos deve ser transferido para penitenciárias federais. Na terça-feira, nove integrantes da FDN foram encaminhados para a Penitenciária Federal de Segurança Máxima de Brasília. Seis deles deverão ser deslocados para outras unidades nos próximos dias, e apenas três ficarão na capital. Nesta quinta-feira, mais 17 membros devem ser transferidos de Manaus para unidaes do Sistema Penitenciário Federal.

A Força-Tarefa de Intervenção é composta de 100 profissionais especializados em ações de risco e retomada de controle de unidades penitenciárias. De acordo com o Ministério da Justiça, ela deverá permanecer por, pelo menos, 90 dias na capital do Amazonas. Em Manaus, familiares dos detentos assassinados protestaram contra a demora na liberação dos corpos. Até o fechamento desta edição, apenas 16 haviam sido liberados.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Notícias do dia: Bolsonaro doente e sem máscara, futebol vetado e inscrição para testar vacina
Presidente Jair Bolsonaro testa positivo para a Covid-19
Bolsonaro apresenta sintomas de Covid-19 e faz teste
Notícias de 06/07 - Covid-19 deve matar mais no interior, prefeito investigado e festa restrita
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco