Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Brasil
Luto Ciclista recifense morre após ser atropelado em Brasília Raul Aragão, de 23 anos, foi atropelado na tarde de sábado (21) e não resistiu aos ferimentos

Por: Correio Braziliense

Publicado em: 22/10/2017 14:11 Atualizado em: 22/10/2017 15:00

Raul era de estudante sociologia na Universidade de Brasília (UnB) e voluntário da ONG Rodas da Paz. Foto: Facebook/Rodas da Paz
Raul era de estudante sociologia na Universidade de Brasília (UnB) e voluntário da ONG Rodas da Paz. Foto: Facebook/Rodas da Paz

O ciclista e voluntário da ONG Rodas da Paz, Raul Aragão, 23 anos, morreu na manhã deste domingo (22) após ser atropelado por um carro. O acidente ocorreu na tarde de sábado (21), na 406/407 Norte. Ele foi socorrido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e levado para o Hospital de Base de Brasília (HBDF), mas não resistiu aos ferimentos. O motorista do veículo envolvido no acidente, de 18 anos, prestou socorro à vítima e foi submetido ao teste do bafômetro, que deu negativo.

O coordenador-geral da ONG, Bruno Leite, disse que a notícia sobre o falecimento chegou logo cedo. Segundo ele, Raul fazia tudo de bicicleta e era uma pessoa muito engajada pela causa. "Super alto astral, sempre com um sorrisão no rosto. Contribuía muito para o trabalho em equipe. É uma perda  grande para a família e para nós". lamentou. Bruno diz que as informações sobre a dinâmica do acidente ainda não são precisas. "Era o meio de transporte dele. Acreditava que Brasília poderia ser uma cidade para todos. E é isso que a gente vai continuar buscando."

"Valeu demais, Raulzito"
Raul era de estudante sociologia na Universidade de Brasília (UnB) e, atualmente, estava à frente de dois grandes projetos da ONG. O grupo fez uma postagem nas redes sociais em que lamentava a morte no ativista. “Valeu demais, Raulzito, um dos voluntários mais queridos e participativos do Roda da Paz e de outros grupos voluntários”, diz a publicação. A 2º Delegacia de Policia (Asa Norte) investiga o caso. Ainda não há informações sobre horário e local de sepultamento do ciclista.

Em um áudio enviado para os integrantes da ONG, a fundadora da Rodas da Paz, Beth Veloso se mostrou bastante abalada com o ocorrido. Atualmente, ela mora em Portugal. "Eu não o conheci, mas é como se esse carro tivesse passado por cima de mim. Acabou com meu domingo. É como se acabasse parte dos 14 anos de campanha que a gente faz", narrou emocionada. Beth destacou que é difícil saber que pessoas que têm como missão salvar vidas, perder a sua de forma tão violenta e injusta. "A gente não pode se calar. Precisamos entender o processo porque isso quer dizer que alguma coisa está sendo negligenciada além do limite. Todos os grupos de biclicleta precisam se unir. Estamos profundamente frustrados. A cada morte violenta é um fracasso. E precisamos olhar para isso para que não a gente não o aceite como uma fatalidade", apontou.

O acidente ocorreu na tarde de sábado (21), na 406/407 Norte. Foto: Josi Paz
O acidente ocorreu na tarde de sábado (21), na 406/407 Norte. Foto: Josi Paz


Baixas na equipe de Guedes
Trump anuncia planos para lançar nova rede social
Manhã na Clube: entrevistas com Teresa Leitão (PT), Fernandes Arteiro e José Teles
CPI da Pandemia recomenda indiciamento de Bolsonaro
Grupo Diario de Pernambuco