Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Últimas

LUTO

Restos mortais do indigenista Bruno Pereira, assassinado no Amazonas, chegam ao Recife para cremação

Publicado em: 23/06/2022 19:19 | Atualizado em: 24/06/2022 19:01

Avião da Polícia Federal pousou no Recife às 18h38 desta quinta-feira  (Sandy James/DP Foto)
Avião da Polícia Federal pousou no Recife às 18h38 desta quinta-feira (Sandy James/DP Foto)
Os restos mortais do indigenista Bruno Pereira chegaram ao Recife na noite desta quinta-feira (23), após uma liberação concedida pela Polícia Federal, em Brasília. O material humano encontrado estava em processo de perícia. Às 18h38 uma aeronave particular da Polícia Federal pousou na pista do Aeroporto Internacional dos Guararapes - Gilberto Freyre, no bairro da Imbiribeira, Zona Sul da capital, para tranferir o caixão até um carro funerário. No avião, estavam sete tripulantes policiais e uma perita do Instituto Nacional de Criminalística. Nenhum familiar participou do momento.

O velório do recifense Bruno Pereira, assassinado no Amazonas, está programado para iniciar às 9h desta sexta-feira, no Cemitério Morada da Paz, no Paulista. Por volta das 15h, o processo de cremação terá início. A expectativa é de que uma série de homenagens aconteçam à memória de Bruno, através de representantes de povos indígenas e também de entidades de direitos humanos.

A chefe da Delegacia de Imigração da Polícia Federal, Luciana Martorelli, acompanhou a chegada do corpo de Bruno ao aeroporto, e relembrou o processo antes da viagem. Ela enfatizou que esse reencontro de Bruno com a capital pernambucana aconteceu por uma solicitação da família do indigenista.

"Os restos mortais de ambos, de Dom e de Bruno, foram periciados em Brasília e liberados para os familiares. O translado, no caso de Bruno, aconteceu em atenção a um pedido feito pela família", disse Luciana.

Dom Philips
Assim como aconteceu com Bruno, os restos mortais do jornalista Dom Phillips também foram liberados de Brasília nesta quinta-feira (23) pela Polícia Federal. Seu destino, no entanto, foi o Rio de Janeiro. Em uma cerimônia reservada aos familiares e amigos, Dom Phillips terá a sua despedida na cidade de Niterói no próximo domingo (26). Ele também será cremado.

Relembre o caso
O indigenista Bruno Pereira estava em uma viagem a trabalho no Vale do Javari, no Amazonas, ao lado do jornalista Dom Phillips. A dupla desapareceu no dia cinco desse mês e teve os seus restos mortais encontrados dez dias depois, após um dos suspeitos do crime ter confessado e apontado o local onde aconteceu a desova. Desmatamento e atividade garimpeira são comuns na região em que os dois estavam. Bruno, inclusive, já havia sido ameaçado diversas vezes por conta do trabalho que desempenhava.

Investigações
A Superintendência da Polícia Federal do Amazonas é a responsável pelas investigações dos assassinatos de Bruno e Dom. Até o momento, três homens foram presos. São eles: Amarildo da Costa Oliveira, Oseney da Costa e Jeferson da Silva Lima.

Nesta manhã, um homem identificado por Gabriel Dantas, de 26 anos, foi até uma delegacia da Polícia Civil de São Paulo e confessou ter participado do crime, ajudando a jogar os pertences pessoais das vítimas num rio. O homem, seguindo o protocolo policial, gravou um vídeo dando detalhes da sua participação, e será encaminhado para a Polícia Federal.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
WIDGET PACK - Sistema de comentários
Suspeito de ataque a tiros com seis mortos é detido nos EUA
Manhã na Clube: entrevistas com o pastor Wellington Carneiro e Alexandre Castelano
Planta gigante, prima da vitória-régia, é descoberta em Londres
Manhã na Clube: entrevistas com a deputada estadual Teresa Leitão (PT) e Juliana César
Grupo Diario de Pernambuco