Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Últimas

SÃO PAULO

Em SP, mulher denuncia marido de amiga por abuso sexual da filha de 4 anos

Publicado em: 30/06/2022 13:20

 (crédito: Geralt/Pixabay/Reprodução)
crédito: Geralt/Pixabay/Reprodução
Uma mulher de 37 anos denunciou o marido de uma amiga que, durante visita dela e da filha de 4 anos ao casal, teria abusado da criança. O crime ocorreu na cidade de Itanhaém, no litoral de São Paulo.

A mãe da vítima narra que o crime teria acontecido em "15 minutos". De acordo com o portal G1, a criança estava brincando na sala com cachorros quando o suspeito apareceu e foi para o segundo andar da casa usar o computador. A menina teria ido com ele na sequência.

A mulher demorou 15 minutos para perceber que a menina não estava mais brincando com os cachorros. Ela conta que chamou a filha, mas a garota não respondeu. Segundo a mulher, o homem informou que eles estavam "assistindo desenho" e, ao descer para a sala, ele estava de mãos dadas com a criança.

Foi apenas durante a noite, depois de deixar a casa do casal, que a menina contou para mãe o que teria ocorrido. "Mãe, ele lambeu o meu peito", contou ela.

A menina reportou também que o homem, que tem 58 anos, teria lambido e passado a mão nas partes íntimas dela. Além disso, ele teria pedido para que ela segurasse os órgãos genitais dele. A criança informou à mãe que não queria mais ir até a casa do casal.

A mulher gravou um áudio das violências narradas pela menina e enviou para a esposa do suspeito. Ela passou mal e foi levada pelo marido à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da cidade. Ao saber que os dois estavam na UPA, a mãe da vítima acionou a Polícia Militar (PM) e foi até o local para confrontar o casal. Todos foram encaminhados para a Delegacia.

Caso foi registrado como estupro de vulnerável
 
Um boletim de ocorrência foi registrado mas, como não houve flagrante, o homem não foi preso. Em depoimento à Polícia, o suspeito confessou estar assistindo a pornografia no momento que a menina entrou no quarto onde ele estava. No entanto, afirma que colocou desenho para ela assistir e negou o estupro.

A mãe da vítima foi orientada a levar a criança para o Instituto Médico Legal (IML) de Praia Grande no dia seguinte para fazer exames de lesão corporal. O exame não constatou lesões. A mãe da criança argumenta que a menina não fez relato de penetração, mas que, segundo ela, o estupro pode ser configurado pelos demais atos que foram descritos por ela.
 
A Secretaria de Segurança Pública de São Paulo (SPP) informou que o caso foi registrado como estupro de vulnerável no plantão da Delegacia Seccional de Itanhaém e encaminhado à Delegacia de Defesa da Mulher do município, onde é investigado. "Detalhes serão preservados devido à natureza do crime e por envolver menor de idade", afirmam, em nota.
 
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
WIDGET PACK - Sistema de comentários
Manhã na Clube: entrevistas com dr. Heitor Medeiros e André Navarrete (Innovation Meeting)
Em busca de água, indígenas brasileiros encontram novo lar
Manhã na Clube: entrevista com Carlos Veras (PT), deputado federal
China executa maiores exercícios militares em décadas
Grupo Diario de Pernambuco