Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Últimas

ACUSAÇÃO

Moro: 'Nunca prestei serviço para empresa envolvida na Lava-Jato'

Publicado em: 24/01/2022 21:15

 (Ex-ministro trabalhou como consultor de uma administradora judicial de construtoras envolvidas na operação anti-corrupção. Foto: Eduardo Ramirez/AFP)
Ex-ministro trabalhou como consultor de uma administradora judicial de construtoras envolvidas na operação anti-corrupção. Foto: Eduardo Ramirez/AFP
O ex-ministro e possível candidato à presidência da República, Sergio Moro (Podemos), disse nesta segunda-feira (24) que não prestou consultoria para empresas ligadas à Operação Lava-Jato. 

Desde que deixou o Ministério da Justiça e Segurança Pública, ainda em 2020, ele foi para os Estados Unidos e prestou serviços de consultoria a uma administradora judicial de diversas construtoras que estiveram envolvidas na operação deflagrada em 2014.
 
"Nunca prestei serviço para empresa envolvida na Lava-Jato. Quem falar isso, mente. Não recebi nenhum centavo. Podem quebrar sigilo, fazer o que eles quiseram. Tenho a consciência tranquila e poderia ter feito muita coisa errada durante a carreira de juiz, ter sido corrompido na Lava-Jato”, afirmou  Moro, em entrevista ao Flow Podcast.

O ex-juiz aproveitou para cutucar o presidente Jair Bolsonaro, seu ex-aliado. “Quando ministro, poderia ter fechado os olhos para as coisas erradas que o Bolsonaro fez, como as rachadinhas, tentativas de interferência na Polícia Federal”. 
 
Nesta segunda-feira, o deputado federal Paulo Teixeira (PT-SP) disse que vai colher assinaturas entre os parlamentares para poder dar início a uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que apure as relações entre o ex-juiz e a empresa. 
 
O caso já está na mira do Tribunal de Contas da União e agora os deputados também analisam a possibilidade de que Congresso Nacional passe a investigar todas essas relações. 

Moro aproveitou a entrevista para dizer que seu projeto político é o único do Brasil que valoriza o combate à corrupção. Em entrevista ao Flow Podcast, ele citou inúmeras figuras políticas que foram presas na Lava-Jato e diz que sofreu pressão para não condená-los.

“Meu projeto é o único que rompe com a ideia de corrupção. Tenho um passado que dá essa credibilidade. Acham que a Lava-Jato foi moleza, quatro anos? Processos contra Lula, Marcelo Odebrecht, Eduardo Cunha, Sérgio Cabral e José Dirceu. Esse pessoal é todo poderoso. A gente estava lá e sofreu muita pressão na época”, afirmou o ex-juiz.

“Sou o único cara que combati a corrupção e estou sofrendo. É pura perseguição. O cara não tem nada para falar sobre o que eu fiz e fica inventando um monte de maluquices”, completou.

Ele voltou a afirmar que a Lava-Jato foi um marco para o país: “A Lava-Jato foi uma mudança desse padrão, pois vimos gente poderosa, donos de empreiteiras sendo responsabilizadas pela corrupção. Não pelo cara ser rico... Mas se o cara é rico, poderoso e comete um crime? É aquela história. A lei está acima de todos”. 

Demais problemas 
Moro também citou outros problemas enfrentados pelo país e diz que seu projeto não se resumiria em evitar a corrupção: “Um projeto de país é muito mais que combate à corrupção. Você tem de pensar em emprego, a inflação está terrível, uma porcaria...”.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Manhã na Clube: entrevista com Raquel Lyra (PSDB)
Casamento de Lula e Janja: celulares barrados na entrada
Soldado russo se declara culpado por crime de guerra na Ucrânia
Manhã na Clube: entrevista com Maria Zilá Passo, advogada especialista em direito da saúde
Grupo Diario de Pernambuco