Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Últimas

CRIME

Menina de três anos é esfaqueada e jogada em rio pela mãe; mulher foi presa

Publicado em: 29/11/2021 22:34

 (Foto: Amaro Junior/CB/D.A Press)
Foto: Amaro Junior/CB/D.A Press
Um episódio lamentável chocou a cidade de Macaé, no Rio de Janeiro, no domingo (28/11). Manuella de Aguiar, de três anos, morreu após ser esfaqueada pela própria mãe, Karine da Silva Minuto, e jogada por ela em um rio da região. O laudo do Instituto Médico Legal (IML) afirma que a morte da menina foi por afogamento, o que significa que ela ainda estava viva quando foi abandonada no local. A suspeita, de 25 anos, foi presa no mesmo dia.

O caso foi descoberto pelo avô da criança e pai de Karine. Ele informou à polícia que por volta das 7h30 do domingo esteve na casa da filha e não a encontrou. O homem estava preocupado com a saúde da mulher, que havia apresentado surtos psicóticos nos dias anteriores ao crime.

Quando retornou para a casa, encontrou Karine de bicicleta sem a filha. Ao perguntar da criança, ela afirmou que Manuella estava no céu e que tinha deixado o corpo dela no Rio Macaé.

Após chegar ao local e não encontrar a neta, ele acionou o Corpo de Bombeiros, que encontraram Manuella em uma praia da região, após o chamado de um banhista. A criança já estava morta quando a equipe de socorro a localizou.

O IML confirmou a morte por afogamento e apontou a existência de ferimentos causados por faca no tórax e no abdômen da criança. Karine responderá pelo crime de homicídio.
TAGS: surto | rio | iml | frieza | crime | barbárie |
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Morre Olavo de Carvalho, considerado guru do bolsonarismo
Manhã na Clube: entrevistas com André de Paula (PSD), Eduardo Cavalcanti e Epitacio Rolim
OMS: é possível encerrar fase aguda da pandemia este ano
Manhã na Clube: entrevistas com Carlos Veras (PT), Frederico Menezes e Marlon Malassa
Grupo Diario de Pernambuco