Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Últimas

OUTUBRO ROSA

Secretaria alerta sobre o rastreamento precoce do câncer de mama e do colo do útero

Publicado em: 18/10/2021 09:16

Em Pernambuco, em 2020, 801 mulheres faleceram em decorrência do câncer de mama e 315 por conta da neoplasia do colo do útero.
 (Brenda Alacântara/Esp. DP
)
Em Pernambuco, em 2020, 801 mulheres faleceram em decorrência do câncer de mama e 315 por conta da neoplasia do colo do útero. (Brenda Alacântara/Esp. DP )
Um levantamento realizado pela Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE) destaca que no ano de 2020, 801 mulheres faleceram em decorrência dos tumores de mama, causa que ocupa o 1º lugar entre as neoplasias malignas em mulheres no país. O câncer de mama acomete principalmente mulheres com idade superior a 50 anos, sendo nesta população, a principal causa de morte por tumores malignos. Já o câncer de colo do útero se tornou o quarto tipo mais comum em mulheres no mundo, e em Pernambuco no ano de 2020 foram notificados 315 óbitos por este tipo de neoplasia. Para reforçar a saúde das mulheres, a campanha do Outubro Rosa estimula a conscientização sobre a importância do diagnóstico precoce das doenças.

“As ações integradas possuem quatro eixos prioritários, que começa com o rastreamento organizado através de busca ativa para realização dos exames em mulheres na faixa etária com maior risco de apresentarem lesão (mama – 50 aos 69 anos e colo do útero – 25 aos 64 anos), seguido de busca ativa, que envolve a localização das mulheres com resultados alterados de exames citopatológicos ou mamografias. As ações envolvem ainda a conclusão diagnóstica e tratamento, etapas que envolvem o encerramento diagnóstico e o encaminhamento para serviços de referência”, explica a gerente de Atenção à Saúde da Mulher da SES-PE, Cleonúsia Vasconcelos.

De acordo com o levantamento da SES-PE, no ano passado, os 801 óbitos de mulheres por neoplasia maligna de mama ocorreram, em sua maioria, nas faixas de 50 a 59 anos (207 óbitos), 60 a 69 (153) e 70 a 79 (146). Já os casos de colo do útero, apresentam uma variação na faixa etária de maior incidência: 40 a 49 (75), 50 a 59 (64), 60 a 69 (55).

Segundo o Sistema de Informações Ambulatoriais do Sistema Único de Saúde do Ministério da Saúde, foram realizadas, em todo o Estado de Pernambuco, 71.818 mamografias entre os meses de janeiro e julho deste ano. Em todo de 2020, esse número foi de 92.297. 
Em Pernambuco, as estimativas para 2021, segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca), são de 2.390 casos novos de câncer de mama com uma taxa bruta de 47,86 casos a cada 100 mil mulheres. Já para os casos envolvendo o câncer de colo do útero, essa estimativa é um pouco mais baixa, mas ainda preocupante.

“O Inca estima para Pernambuco o surgimento de 730 novos casos de câncer do colo do útero, com uma taxa bruta de 14,64 a cada 100 mil mulheres. Esse dado nos traz um alerta para a importância das ações preventivas envolvendo essas duas neoplasias que podem ser combatidas precocemente e com grandes chances de cura com tratamento”, reforça a gestora.

A gerente de Atenção à Saúde da Mulher ainda destaca os métodos para rastreamento dos dois tipos de cânceres no Brasil. “Para os casos de mulheres sem sinais e sintomas, a recomendação para detecção precoce do câncer de mama é a realização da mamografia de rastreamento, para aquelas entre 50 e 69 anos de idade, faixa com maior incidência para câncer de mama. Nesses casos, o exame pode ser feito a cada dois anos”, disse.

Pernambuco conta com serviços de referência para o atendimento de casos dos cânceres de colo do útero e de mama consideradas de alta complexidade, são eles: I Macro: hospitais Barão de Lucena, Clínicas, do Câncer e Universitário Oswaldo Cruz (HUOC) - todos no Recife; II Macro: hospitais Regional do Agreste e Mestre Vitalino - em Caruaru; III Macro: Hospital Memorial Arcoverde e na IV Macro: hospitais Dom Tomás (Petrolina) e Memorial Arcoverde.

“Já o método de rastreamento do câncer do colo do útero e de suas lesões precursoras é o exame citopatológico, mais conhecido como exame de papanicolaou ou preventivo. Para estes casos observa-se o seguinte: os dois primeiros exames devem ser realizados com intervalo anual e, se ambos os resultados forem negativos, os próximos devem ser realizados a cada três anos, sendo a faixa etária prioritária de 25 a 64 anos”, finaliza Cleonúsia Vasconcelos.

HPV
Além do exame citopatológico, outra forma de prevenção contra o câncer de colo do útero é a vacinação. Meninas de 9 a 14 anos e meninos com idades entre 11 e 14 precisam receber a dose do imunizante que protege contra o Papiloma Vírus Humano (HPV), causador do câncer de colo do útero nas mulheres. Em todo o país, até 29 de outubro, acontece a Campanha de Multivacinação para Atualização da Caderneta de Vacinação que visa atualização dos esquemas vacinais de crianças e adolescentes com a aplicação de alguns imunobiológicos que já fazem parte do calendário de rotina nos postos de saúde, como poliomielite, hepatites A e B, tríplice viral, rotavírus humano, dTp e a vacina contra o HPV.
TAGS: útero | do | colo | do | e | mama | de | câncer | do | precoce | rastreamento | o | sobre | alerta | secretaria |
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Justiça por Beatriz: pais organizam peregrinação de 720 km para cobrar solução de assassinato
Pessoas que já tiveram covid podem adoecer novamente devido à ômicron
Reino Unido aprova mais um medicamento contra Covid-19
Manhã na Clube: entrevista com o deputado estadual Eriberto Medeiros (PP), presidente da Alepe
Grupo Diario de Pernambuco