Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Últimas

CPI DA COVID

Depois de 65 sessões, CPI deve indiciar 70 pessoas, incluindo Bolsonaro

Publicado em: 19/10/2021 19:10

 (Foto Senado Federal)
Foto Senado Federal
A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid está caminhando para o fim. A leitura do relatório final, elaborado pelo senador Renan Calheiros (MDB-AL), está prevista para esta quarta-feira (19).

O texto, ao qual o Estado de Minas teve acesso, prevê o indiciamento de 70 pessoas, incluindo o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), quatro ministros e três ex-ministros do governo Bolsonaro.

Renan também pede no documento o enquadramento de duas empresas: a Precisa Medicamentos e a VTCLog. A cúpula da Prevent Senior também foi indiciada. 

O relatório aponta que, em 27 de abril de 2021, quando a CPI da Covid foi instalada, o Brasil contabilizava 14.369.423 de casos de Covid-19. Desses, 391.936 pessoas foram a óbito. O coeficiente de letalidade era de 2,73%, superior, portanto, à média mundial, que era de 2,18%. 

Naquela data, Brasil estava em 14º lugar do mundo em comparação com mortes por habitantes. Menos de seis meses depois de CPI, o país assumiu a 7ª colocação.

A quantidade de casos confirmados também cresceu 50,2%, chegando a 21.582.738. O número de óbitos cresceu proporcionalmente ainda mais, com 53,4% de aumento, alcançando 601.213 óbitos no total.

No total, foram 65 reuniões da CPI da Covid, das quais 57 sessões de depoimentos, todas televisionadas pela TV Senado e amplamente divulgadas em vários meios de comunicação, em que foram ouvidas 62 pessoas .

“Após quase seis meses de intensos trabalhos, esta Comissão Parlamentar de Inquérito da Pandemia colheu elementos de prova que demonstraram sobejamente que o governo federal foi omisso e optou por agir de forma não técnica e desidiosa no enfrentamento da pandemia”, diz o relatório.

O texto também cita as seguintes provas para os indiciamentos: a comprovação do gabinete paralelo; a oposição às medidas não farmacológicas; atraso na aquisição de vacinas; crise no estado do Amazonas e a falta de coordenação do governo federal; o caso Covaxin; hospitais federais do Rio de Janeiro; caso da VTClog, a análise orçamentária da pandemia no Brasil, a questão indígena e quilombola; a desinformação na pandemia e o caso da Prevent Senior.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Carnaval: a tragédia anunciada de uma nova onda de Covid-19
Bolsonaro vê como provocação recepção de Lula por Macron
Manhã na Clube: entrevistas com Laura Gomes (PSB), Micaelly Duarte e José Lopes
Movimento Educar: panorama completo de matemática para o Enem
Grupo Diario de Pernambuco